quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Eujácio Almeida colocava trabalhadores para beber a mesma agua do gadfo

Trabalhadores libertados de fazenda usavam a mesma água do gado



O grupo de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) libertou mais 32 trabalhadores encontrados em condições semelhantes à escravidão. Eles foram encontrados na fazenda “Fé em Deus”, no município de Rondon do Pará, na região sudeste do Pará. Os fiscais do governo relataram que a água usada para beber, cozinhar e tomar banho era escura e com terra, sendo utilizada também pelo gado.

De acordo com a Organização Não-Governamental Repórter Brasil, os trabalhadores coavam a água para tirar insetos e girinos. A carne consumida pelos empregados estava infestada de insetos. Além disto, eles estavam sem receber salários e em alojamentos inadequados.

Segundo o fiscal e coordenador da ação, Guilherme Moreira, foram encontrados trabalhadores que só receberam R$ 65,00 e em março de 2008. O fazendeiro ainda não comunicava que descontaria o valor da alimentação e dos Equipamentos de Proteção Individual – este último uma obrigação do empregador.

Na fazenda, os empregados trabalhavam com o roço de juquira - limpeza do mato para garantir a qualidade do pasto - e na produção de carvão.

O dono da fazenda, Eujácio de Almeida, foi indiciado pelo crime de trabalho escravo e terá que pagar R$ 60 mil em salários, indenizações e outros débitos junto aos trabalhadores

FONTE: marabanoticias.com.br

Nenhum comentário: