quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

2009 Continuamos na luta por um Mundo melhor!!!

Elisa Lucinda


“(...) A vida não tem ensaio

Mas tem novas chances

Viva a burilação eterna, a possibilidade:

O esmeril dos dissabores!

Abaixo o estéril arrependimento

A duração inútil dos rancores

Um brinde ao que está sempre nas nossas mãos:

A vida inédita pela frente

E a virgindade dos dias que virão!”

2009 CHEGANDO

EM 2009 A NOSSA VONTADE SERÁ ESSA.............................



Ah! Que vontade dar umas sapatadas no analfabetismo, na ignorância, no nepotismo
Dar uma kichutada no prefeito irresponsável, míope e inépto
Dar uma sandaliada na venta dos dogmas religiosos.
Dar umas tamancadas no despreparo do governo estadual.
Dar uma butinada na arrogancia da atrasada burguesia.
Dar umas chineladas nas corrupções jardistas, murrietistas...
Dar uma alpercatada no oportunismo dos deputados e vereadores.
Dar umas chuteiradas na pedofilia, na exploração do trabalho escravo e infantil.
Dar umas galochadas na pobreza de espírito, no conformismo social.
Dar umas sapatilhadas, na fome, na violência gratuita e banalizada.
Dar uma mocassinada no egoísmo e na falta de solidariedade
Ah! Que vontade!

domingo, 28 de dezembro de 2008

Pelo fim do bloqueio econômico a Cuba

DISCURSO DO SENADOR JOSÉ NERY

Srs e Sras, a humanidade não conhece muitos eventos que possam receber, de forma inconteste, a definição de fatos históricos. A Revolução Cubana, contudo, é indiscutivelmente um desses fatos. Em 1º de janeiro de 1959, o ditador Fulgêncio Batista, um títere a serviço do Governo dos Estados Unidos, foge de Cuba, marcando o início de uma nova era para a humanidade.

A pequena ilha de Cuba, conquistada em 1492 por Colombo, já nasceu sob o signo da polêmica. Isso porque o conquistador espanhol fez jurarem os integrantes de sua expedição, sob pena de severas punições, que Cuba não era uma ilha, mas uma parte do continente asiático. Tudo para comprovar sua tese de que havia chegado à costa ocidental da Ásia.

Cinqüenta anos se passaram desde o triunfo da revolução, e nosso respeito e admiração por Cuba só aumentam. A Revolução Cubana se tornou grande por materializar a luta antiimperialista travada por milhões de seres humanos que não se curvam diante da arrogância do império do capital. Cuba é um ícone para aqueles que acreditam que o homem pode viver sem estar submetido à lógica capitalista, que coisifica o homem e transforma tudo e todos em mercadoria. A resistência do povo cubano é um alento para milhões de lutadores sociais que dedicam sua vida à construção de uma sociedade justa e igualitária, onde a solidariedade e o respeito à vida e à natureza sejam efetivamente valores universais.

Fidel Castro e Che Guevara são símbolos de uma era. Jovens ainda, enfrentaram e venceram não apenas o regime de um ditador local, mas toda a fúria política e militar do mais poderoso país que a humanidade já conheceu, os Estados Unidos da América. Não foram poucos os esforços dos Estados Unidos para derrotarem a Revolução Cubana. Isso porque seus governantes sempre foram conscientes da transcendência da luta do povo cubano.

Os economistas tradicionais, sempre afeitos às teorias do capitalismo, não conseguem entender como essa pequena ilha do Caribe pode ostentar invejáveis índices sociais, estando submetida a um severo bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos desde 1962 e que já causou perdas superiores a US$80 bilhões. Além de excelentes sistemas de saúde, educação e transporte, Cuba, segundo estudos da ONU, está ente os 70 países que apresentam um alto Índice de Desenvolvimento Humano (acima de 0,800). Em 2007, o IDH de Cuba foi de 0,838 (51º melhor do mundo).

Aliás, é bom lembrar que a própria ONU, pela 17ª vez consecutiva, já considerou criminoso esse bloqueio econômico. Dos 192 Estados-membros da Assembléia-Geral, 185 votaram a favor da resolução que exorta ao fim do bloqueio econômico, comercial e financeiro imposto pelo governo americano. A resolução contou apenas com três votos contra – Estados Unidos, como não poderia deixar de ser, Israel e Palau – e com a abstenção da Micronésia e das Ilhas Marshall.

O Presidente cubano Raúl Castro esteve no Brasil, participando da reunião da Cúpula da América Latina e do Caribe. Este é um momento privilegiado para que o Brasil e os brasileiros possam manifestar e reafirmar seu apoio à luta do povo cubano, exigindo do novo governo americano o fim do embargo a Cuba e o respeito a uma Nação soberana. Os Estados Unidos não têm a menor condição moral de julgar quem quer que seja. A atual crise econômica, que demite dez mil trabalhadores por dia na Europa e que já demitiu milhares em nosso País, foi criada nas entranhas dos Estados Unidos. O mais recente capítulo da crise é o rombo de mais de US$50 bilhões de dólares promovido pelo ex-Presidente da Nasdaq, Bernard Madoff. Só a lógica capitalista permite que um único homem possa enganar diversas instituições e mesmo países por tanto tempo.

Os ideais que movem a Revolução Cubana estão mais vivos do que nunca na luta de todos aqueles que, diariamente, destinam a sua vida à luta pelo socialismo. Milhares de homens e mulheres estão solidários à causa cubana porque se identificam com a luta antiimperialista. A revolução que começou com uma luta anticolonial se transformou, pela sua dinâmica interna, em uma revolução socialista. Fidel Castro e Che Guevara permanecem símbolos universais da resistência e da tenacidade dos lutadores latino-americanos.

Desde já, manifesto minha solidariedade aos 50 anos da gloriosa Revolução Cubana, a ser celebrada em 1º de janeiro de 2009, desejando que ela continue servindo de inspiração à luta por uma sociedade sem explorados e exploradores em todos os continentes do nosso imenso planeta.

Srªs e Srs. , nesta semana, a realização da Cúpula da América Latina e do Caribe, na Bahia, foi uma importante oportunidade para que os países latino-americanos assumissem o compromisso de constituir um organismo multilateral para cuidar da integração da relação comercial e política dos países do continente. E têm um significado especial a presença, o acolhimento e a denúncia conjunta feita por todos os países ao bloqueio comercial imposto à Cuba e a exigência para que o novo governo dos Estados Unidos tenha, finalmente, uma postura à altura da atualidade. Não se pode mais aceitar um bloqueio criminoso como aquele a que Cuba foi submetida desde 1962. Além da reafirmação do compromisso da criação de um organismo multilateral, ao lado da afirmação da luta pela soberania dos nossos países, em especial do povo cubano, há a significativa presença do Presidente Raúl Castro.

Quero, manifestar a minha enorme satisfação de ter tido a oportunidade para um breve diálogo com o Presidente Raúl Castro, quando pudemos conhecer melhor parte da sua luta e da luta do povo cubano, bem como ouvimos sobre os desafios que estão postos à continuidade de uma revolução que se mostrou vitoriosa, porque Cuba exibe para o mundo, orgulhosamente, indicadores sociais da mais alta relevância, que, por si só, demonstram a importância dessa luta revolucionária. O Presidente Raúl Castro, que pouco viaja pelo mundo – e veio à Cúpula dos Países Latino-Americanos e do Caribe, em Salvador –, em sua passagem pelo Brasil, pôde receber a manifestação de várias lideranças políticas, de vários partidos, de intelectuais e dos setores e dos lutadores sociais que apóiam a causa do povo cubano.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

É TEMPO DE REFLEXÃO!

ESPERANÇA, HARMONIA, PAZ, FELICIDADE E SOLIDARIEDADE, CONFRATERNIZAMOS JUNTOS NESTE MOMENTO.


VOTOS DO CONTRAPONTO & REFLEXÃO PARA UM MUNDO MAIS JUSTO!!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

NOTA OFICIAL DO PSOL SOBRE DEPUTADO SEFFER

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) vem a público diante das recentes notícias que relacionam o deputado estadual Luiz Afonso Sefer, do Partido Democratas (ex-PFL), com a suposta prática de crime de abuso sexual contra uma criança, vítima de agressões desde os nove anos de idade:
1- Considerar que tais denúncias, formalizadas junto ao Judiciário e Ministério Público, são de extrema gravidade e merecem ser acompanhadas de forma atenta, profunda e permanente pela opinião pública e pela sociedade civil, tanto por serem expressão de um Estado que não assegura as mínimas garantias de direitos a suas crianças e jovens, como também por trazer o eventual envolvimento de uma autoridade estadual, eleita pelo voto e que jurou cumprir e zelar pela Constituição e leis do país.
2- Apoiar com firmeza a recente instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), no âmbito da Assembléia Legislativa do Estado, para investigar os crimes de pedofilia e outras violações contra crianças e adolescentes no Pará. Ao mesmo tempo, lamentar o enorme e injustificado atraso na tomada dessa atitude pelo parlamento paraense já que, desde 2006, a então deputada estadual Araceli Lemos (PSOL) já havia formalizado o requerimento desta CPI, contando com o número regimental de assinaturas.
3- Ressaltar que o povo paraense espera que os trabalhos da CPI e a apuração, imediata e rigorosa, das denúncias contra o deputado Sefer possam transcorrer em um ambiente de completa transparência e controle social, repudiando de antemão toda e qualquer manobra que tente construir um manto de impunidade e de proteção a esse parlamentar.
4- Anunciar que solicitará formalmente à direção dos trabalhos da CPI para que possa acompanhar as atividades investigatórias, na qualidade de partido político legalmente constituído, participando do esforço conjunto com a sociedade civil para a apuração completa das denúncias e punição exemplar de todos os envolvidos.
5- Reiterar, por fim, sua determinação de lutar para que a apuração das denúncias relativas ao deputado Luiz Sefer (DEM) sejam levadas às últimas conseqüências, inclusive, comprovada a veracidade das gravíssimas acusações a ele imputadas, com a imediata abertura de processo de perda de mandato por quebra de decoro parlamentar.
Belém, 18 de dezembro de 2008.
Araceli Lemos
Presidenta do Diretório Estadual do PSOL - Pará
Marinor Brito
Presidenta do Diretório Municipal do PSOL - Belém

“Sapatada” em Bush Coroa o Fracasso do Imperialismo no Iraque.

Sem dúvida a cena mais linda de 2008 foi registrada por diversas câmeras de jornalistas no Iraque essa semana. Um par de sapatos arremessados contra o presidente George W Bush. Simplesmente fantástico. É difícil até de expressar a felicidade que dá ver aquele genocida pegando uma sapatada, e sendo chamado de cachorro.
Pena que o nosso tão estimado e querido jornalista Muntazer al Zaidi não ter acertado em cheio no rosto do presidente dos EUA. Mas nós até compreendemos, talvez ele não tenha treinado, ou mesmo pensado que isso poderia acontecer. De ele um jornalista que estava em uma coletiva de imprensa que surgiu de repente durante a visita “surpresa” (para não dizer secreta) de George W. Bush ao Iraque. Não satisfeito em pisar em um solo que destrói com seus soldados ianques, Bush ainda falou em “beijo de despedida” ai é pedir pra pegar um tiro! Acredito que como o Sr. Muntazer al Zaidi não tinha uma arma optou pelos sapatos. Eu sinceramente penso que uma cadeira seria melhor, mas não vamos criticar o Sr. Muntazer al Zaidi, que inclusive é digno de muito respeito. Mas é claro que o jornalista pensou em jogar os sapatos. Isso corresponde a uma grave ofensa para quem recebe a “sapatada”. Além do que ser chamado de “cachorro” para George W. Bush não deve ser lá tão incomum como a cena do sapato.

A “sapatada” do jornalista em Bush mostra bem os desafios que o governo de Obama terá com a guerra do Iraque. Isso mostra que a resistência do povo iraquiano está cada vez mais forte, apesar dos inúmeros conflitos internos os iraquianos ainda colocam como seu alvo comum os soldados norte-americanos (que foram recebidos a sapatadas por jovens ao desembarcarem no Iraque).
O jornalista Muntazer al Zaidi é tido como herói nas ruas do Iraque e por grande parte do mundo árabe. Muntazer al Zaidi representa a coragem de um povo contra o imperialismo, pois hoje está preso e poderá ser condenado a 15 anos de prisão por ter agredido um chefe de Estado, e inclusive, já apareceram denuncias de tortura feita por militares iraquianos pró-imperialistas. Esse jornalista enfrentou com um par de sapatos o homem mais poderoso do mundo. OS EUA se vem forçados a sair do Iraque, assinando com o governo (de fachada) Iraquiano um acordo para a saída das tropas imperialistas até final de 2011. A sapatada não acertou em Bush, mas com certeza acertou o imperialismo. A questão agora é saber se essa “sapatada” no império levá-lo-á a recuar mais cedo do que o previsto.
Fico só pensando se essa “moda” pega o que aconteceria com Lula se ele fizesse uma visita surpresa pra dar o “beijo de despedida” no Haiti? Que eu ia gostar de ver a sapatada nesse capacho do Império... Ah! Eu ia.
FORAS TROPAS IANQUES DO IRAQUE.
PELA LIBERDADE DE MUNTAZER AL ZAIDI.
TODO PODER AO POVO IRAQUIANO


http://saidapelaesq uerda.blogspot. com

domingo, 21 de dezembro de 2008

PALMAS

Cerca de 150 toneladas de lixo produzido na capital tocantinense são despejados diariamente em parte da área do Assentamento São João. Apesar dos impactos, 89 famílias tentam tocar a vida como pequenos agricultores.


O aterro foi transferido para dentro dos limites do projeto de assentamento - oficializado por Portaria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em janeiro de 1987 - porque o antigo local onde o lixo era depositado acabou sendo inundado com a construção da barragem da Usina Hidrelétrica de Lajeado no Rio Tocantins, no final de 2001. A área foi escolhida temporariamente" para solucionar um problema "emergencial".

Reporter Brasil

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Cuba: 50 anos da revolução que se tornou símbolo de luta socialista

O senador José Nery ocupou a tribuna do Senado nesta sexta-feira, 19, para homenagear os 50 anos da revolução Cubana. Nery que na noite de quinta-feira teve um encontro com o presidente de Cuba, Raul Castro, falou de sua admiração pela pequena Ilha que tem se mantido como um símbolo para todos que acreditam na possibilidade de um mundo socialista. Castro está no Brasil para a reunião da Cúpula da América Latina e do Caribe.

“A Revolução Cubana se tornou grande por materializar a luta antiimperialista travada por milhões de seres humanos que não se curvam diante da arrogância do império do capital. Cuba é um ícone para aqueles que acreditam que o homem pode viver sem estar submetido à lógica capitalista que coisifica o homem e transforma tudo e todos em mercadoria”, disse o senador afirmando que a resistência do povo cubano é um alento para milhões de lutadores sociais que dedicam sua vida à construção de uma sociedade justa e igualitária, onde a solidariedade e o respeito à vida e à natureza sejam valores universais.

No pronunciamento, o senador lamentou a manutenção do bloqueio econômico dos Estados Unidos a Cuba, mas ressaltou a força do País que apesar das dificuldades conseguiu se tornar referência em áreas como a saúde, educação e esporte. De acordo com estudos da ONU, Cuba está entre 70 países do mundo que apresentam um alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

O senador defendeu que o Brasil e os brasileiros manifestem seu apoio à luta do povo cubano, exigindo do novo governo americano o fim do embargo a Cuba e o respeito a uma nação soberana.

Nery recebeu apartes do senador Cristovam Buarque que também defendeu o fim do embargo e elogiou o programa do governo cubano que conseguiu erradicar o analfabetismo do País.

DIA 01 DE JANEIRO DE 2009: TODOS EM HAVANA!!!!

TUCURUÍ

Movimentos sociais da região de Tucurui, se articulam estrategicamente para enfrentar 2009.

As organizações sociais nos municípios de Tucurui, Cameta, Baião, Breu Branco e Novo Repartimentos, estarão construindo uma pauta conjunta, para 2009, que será apresentada aos governos, municipais, estadual e federal, segundo Roquevam do MAB Movimento de Atingidos por Barragens. O evento estará acontecendo no centro de convenções na cidade de Tucurui, no dia 20 de dezembro de 2008, portanto neste sábado com inicio previsto para as 8hs00 da manhã, este evento e resultado da reunião realizada dia 6 de passado.

O Movimento em Defesa da Amazônia, a Favor do Meio Ambiente. Que está composto pelas entidades e Associações representativa da Sociedade: Associação dos Agricultores em Agricultura Alternativa e Familiar; Associações de Moradores, Grêmios Estudantil, Movimento dos Atingidos Por Barragens, Movimento Ambiental, Sindicatos de Trabalhadores, associações de classe e movimentos sociais em geral.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Amigo do "rei" quer flexibilização das leis trabalhistas



Lula e Roger: O pacto do diabo



Nos Estados Unidos a taxa de juros foi a zero, rigorosamente ela foi a 3.3 negativos, taxa real. A maioria dos países está com taxa negativa de juros. A taxa de juros real brasileira é 8%. A segunda maior taxa de juros no mundo está em 2.6%.

É fantástico! E o Sr. Henrique Meirelles e o Governo Lula não se explicam frente a essa situação, para enfrentar a crise. Como é que eles enfrentam a crise? Dando mais dinheiro aos bancos, por meio da liberação do compulsório bancário, que eles não usam para incentivar nem a produção nem o consumo, mas para especular com a maior taxa de juros no mundo, que é a brasileira!

Outra questão é que é a fala do Sr. Roger Agnelli, Presidente da Vale, que pediu medidas de exceção em relação aos direitos trabalhistas.

Ou seja, ele quer um AI-5 novo para os trabalhadores: flexibilização de relações trabalhistas, fim do contrato de trabalho, redução do salário com jornada de trabalho.

É o contrário. Os trabalhadores sempre pagaram a conta. Na hora dos lucros, como os da Vale, que chegou ao preço de mercado de 200 bilhões de reais, não há socialização. Quando chegam os prejuízos, 3 meses depois, vamos socializar os prejuízos com os trabalhadores. Não podemos aceitar, em hipótese alguma, que se privatizem os lucros e que se socializem os prejuízos e que os trabalhadores paguem a conta da crise.

Pensavamos que era uma coisa isolada, mas não é. Ontem o Presidente da CSN disse a mesma coisa, e hoje os jornais já anunciam mais demissões. Está aqui: a indústria paulista demite 34 mil trabalhadores em novembro. As notícias estão forradas de informações sobre novas demissões de multinacionais, como a Maxion, em São Paulo, no Paraná, etc. E o que se propõe? Redução de direitos trabalhistas em vez de garantir direitos constitucionais e os que estão na CLT.

O Governo precisa entender que tem de proteger os trabalhadores e não o agronegócio, as multinacionais montadoras de veículos que estão sendo altamente subsidiada, e os bancos, particularmente.

Aberração 1

Durante votação do Orçamento Público Municipal, esta semana na câmara municipal. Foram apresentadas e aprovadas apenas oito emendas. Entre elas a que destina recursos para o Grupo Só da Terra e Associação da Mulher de Marabá. Ambas entidades ligadas a duas vereadoras.

Mais corporativismo no fim da legislatura.

Aberração 2

Os vereadores aprovaram durante a ultima sessa desta legislatura, a escolha donome para o novoprédio da Câmara Municipal. Vai ser denomidada de "Miguel Gomes Filho", em homenagem ao atuialpresidente da câmara e candidato para o próximo período legislativo.

Uma homenagem muito duvidosa por sinal, pois a argumentação de quem tem cinco mandatos e foi o presidente que iniciou a construção do novo prédio, não justifica de forma alguma, esqueceram que seu nome está na lista suja do trabalho escravo, além disso os vereadores poderiam ter feito uma bela homenagem a primeira vereadora eleita dona Mirian falecida ano passado.

Chega de corporativismo,já não basta o número de vagas que acarretará em mais prejuizos ao erário público.

Aberração 3

O deputado Wladimir Costa (PMDB) em discurso esta semana ,demonstrou insatisfação com a atuação da segurançapública no Estado doPará,mais precisamente contra a atuação do delegado geral de Policia Civil, Justiniano Alves.

Na verdade sua insatisfação durante o discurso foi em decorrencia dos assassinatos do médico Salvador Nanhmias e Paulo Cavaleiro, segundo Wlad pessoas renomadas,até ai tudo bem, porém todos osdias jovens são vitimas de execuções no estado, e nenhum,a autoirdade se pronunciouu até agora, em Marabá já chega 50 as vitimas de execuções somente em 2008. E, nenhum crime resolvido.

Quanto a indignação do deputado ela é justa como representante do povo, mas quando essa mesma indignação seja para todos, principalmente para que a policia possa apurar os devidos crimes.

Antonio Ozaí da Silva lança livro

Maurício Tragtenberg: Militância e Pedagogia Libertária

Este é um livro sobre um intelectual inovador a quem o Brasil ainda deve, mas que o pensamento crítico vem reconhecendo paulatinamente. Um autor que pensou e contribuiu para a educação de modo não-formal, incomum e essencialmente crítico, confiando no papel formador da negação dialética do instituído. Sem se reter aos espaços que tradicionalmente se convencionou delimitar por “acadêmicos”, como Gorki ele considerava as vivências e lutas de sua trajetória como “as minhas universidades”.


Não é gratuito, portanto, que Antonio Ozaí da Silva inicie esta obra sobre Maurício Tragtenberg esquadrinhando os contextos de sua vida e os influxos de seu engajamento militante. O tema da educação libertária não pode ser apreendido nem encerrado nos marcos investigativos do formalismo pedagógico institucional. Isto é, filosoficamente compreendida, a obra de Ozaí lida com um método de abordagem que sabe reconhecer, respeita e não elide o que lhe demanda a natureza do seu objeto de análise.


O livro esclarece, com propriedade, que Tragtenberg, ele mesmo de formação parcialmente autodidata, articula o seu princípio político-pedagógico libertário a partir da defesa da auto-organização dos trabalhadores. Crítico da cisão teoria–prática e da hierarquia intelectual manifestas no homo academicus, ele via na autogestão dos operários o modo social destes recobrarem integralmente o saber e a condição intelectual deles apartados pela classe dominante, que os marginaliza no processo do fazer, negando-lhes o do conhecer.


Com uma obra marcada pelo decantamento crítico das raízes e da natureza histórico-social da dominação burocrática, Tragtenberg levou para a análise da educação os seus princípios teóricos mais gerais. Introduzindo e impondo respeito à pedagogia libertária na universidade brasileira, atacou a ritualística adestradora da educação burocrático-formal, fazendo da defesa da autogestão educacional, da autonomia do indivíduo e da solidariedade anticoncorrencial as balizas de sua pedagogia integral e igualitária, centrada nos interesses dos educandos.


Por fim, este estudo sobre a práxis militante e educativa de Tragtenberg carrega, ainda, um interesse peculiar: na sua leitura do mestre Tragtenberg – título que ele recusaria –, essas páginas vão calando uma a uma, e revelam, de quebra, parte dos fundamentos inspiradores de onde brota o perfil engajado antielitista do próprio cientista social e educador Antonio Ozaí da Silva, manifesto em seu notável empenho, como escritor e editor, pela qualificação crítica e plural da cultura. Enquanto continuidade dessa práxis educativa igualmente informal, essas páginas compõem uma exposição que honra a justa crítica de Tragtenberg ao vetusto e socialmente inútil elitismo acadêmico.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Quem será?

Os dois nomes mais bem cotados hoje, para assumir a SEMED são os professores Melquiades Justiniano e Ney Calandrine. Maurino Magalhâes jura que acatará a escolha feita pelso educadores.

De uma certa forma vai ser um processo inédito em Marabá. O resultado vai pegar muita gente de surpresa, inclusive os petistas que sempre falam de democracia e aplicam golpes quando assume o governo.

Senador cobra posicionamento de Lula sobre proposta da Vale

Nery quer saber opinião de Lula sobre proposta de presidente da Vale de flexibilizar direitos trabalhistas


O senador José Nery (PSOL-PA) cobrou, nesta terça-feira (16), posicionamento do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sobre proposta que teria sido apresentada a ele pelo presidente da Companhia Vale, Roger Agnelli, de flexibilizar a legislação trabalhista em razão da crise financeira mundial. A proposta foi divulgada pelo jornal O Estado de S. Paulo deste final de semana, em entrevista do executivo da multinacional.

O senador observou que mudanças na legislação trabalhista têm de ser realizadas por meio de alteração na Constituição e cobrou do presidente Lula o zelo pelo estado democrático de direito. Em sua opinião, cabe aos "senhores do capital" pagar a conta porque são eles os responsáveis pela crise econômica mundial.

- Se o presidente silenciou diante das propostas apresentadas pelo presidente da Vale, é bom todos ficarmos preocupados. Devemos serrar fileiras na defesa dos direitos inscritos na Carta Magna e exigir que o presidente da República se posicione diante das propostas do senhor Roger Agnelli. O silêncio pode significar apoio e, ao tomar posse, Lula jurou respeitar a Constituição - alertou.

O senador também conclamou todos os sindicatos e as centrais sindicais para que adotem posição clara e uníssona contra a proposta de flexibilização dos direitos trabalhistas. José Nery fez ainda um apelo para que todas as lideranças partidárias do Congresso se mobilizem e não permitam que esse assunto siga adiante.

- A proposta apresentada em reunião com Lula, segundo noticia a imprensa, e que foi tratada também em reunião com os maiores empresários do país, se verdadeira, representa um descaso para com o direito dos trabalhadores. É um ataque que se anuncia inominável para o qual devemos serrar fileira no sentido de impedir que tal propósito venha se tornar realidade. Porque, afinal de contas, flexibilizar, essa palavrinha aparentemente inofensiva, tem o sentido de retirar o direito dos trabalhadores - afirmou José Nery.

Eleição no Campus: Imobilidade

Durante todo o dia de ontem ocorreu a primeira votação para a coordenação do campus. Duas chapas disputam o eleitorado acadêmico, Profº Reginaldo Saboia e Profª Silvana Lourinho versus Profª Hildete dos Anjos e Profº Fernando Michelotti.

No programa de gestão de ambas as chapas não tem muita diferença, defendem a democratização do campus, o fortaleciemnto do conselho e a pauta do desenvolvimento sustentável. Porém, a campanha para coordenção foi fraca, o próprio debate foi morno e sem muito foco.

Ontem os corredores da UFPA estavam vázios, pouca participação dos estudantes e envolvimento dos docentes. A próxima votação será realizada em Janeiro/09 especificamente poar aos alunos dos cursos intervalares.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Flexibilização das Leis Trabalhistas

Interessante como o poder de Roger Agnelli vai longe, ele tem procurado de todas as formas sugar o sur, o sangue e a força dos trabalhadores da mineradora. No texto abaixo postado por Aldenor Jr um breve relato do seu relacionamento com o governo Lula na tentativa de influenciar nas açterações das leis trabalhistas.



A ameaça que vem de cima

Roger Agnelli não é um qualquer. Guindado ao cume da segunda maior mineradora do mundo e principal empresa "privada" (neste caso, as aspas fazem todo sentido), ele cultiva um estilo arrojado e impetuoso. Incensado como a revelação do sucesso do mercado sem fronteiras, fala o que quer e, raramente, ouve o que precisaria. Mas agora, passou dos limites.
Segundo o Estadão, Agnelli admitiu que nos últimos dias conversou com o presidente Lula sobre a flexibilização das leis trabalhistas. "O governo e os sindicatos precisam se convencer da necessidade de flexibilizar um pouco as leis trabalhistas: suspensão de contrato de trabalho, redução da jornada com redução de salário, coisas assim, em caráter temporário", afirmou. Quase como uma piada - de evidente mau gosto - ele se declarou disposto a reduzir, "temporariamente", seu próprio salário. Um gesto patriótico, sem dúvida, se não fosse uma cusparada na face dos milhares de demitidos da própria Vale e de outros grandes conglomerados que não vacilam em atingir dura e impiedosamente os trabalhadores, desprotegidos e sem defesa.
Diante da crise que se aprofunda, a solução não pode ser outra: sangrar os direitos trabalhistas, transferir o ônus da farra especulativa para o mundo do trabalho, preservar - e ainda se possível ampliar - a escalada de acumulação dos rentistas nacionais e estrangeiros.
Roger Agnelli age e pensa com a arrogância dos que sempre mandaram. Sua tarefa parece ser facilitada pela quase total falta de compostura entre os que possuem mandato popular, amofinados e microscópicos diante de um cenário que exige fidelidade ao povo. E isso, todos sabem, é cada vez mais difícil de encontrar.

CURTAS

*Governo baiano vai cortar o ponto de policiais civis que não comparecerem ao trabalho.

*Prefeito eleito e vereadores serão diplomados nesta quinta feira.

*Chuvas no sul e sudeste do Pará deixa estradas nas piores condições, ontem o poster quase cai de cima de uma ponte próximo a Eldorado do Carajás.

*A crise econômica já beira Marabá, a cidade está sem iluminação natalina.

*Vereadores derrotados estão anciosos com a votação da PEC que aumenta o numero de vereadores.

*Hildete e Fernando estão sendo testados hoje nas urnas do Campus do Sul e Sudeste, se vencerem será mais uma derrota pra o grupo do Reitor Alex Fiuza de Melo.


*Composição do governo Maurino só sai na terça feira.

G-7: PSB pressiona Alécio

O vereador eleito Alécio da Palmiteira foi pressionado ontem a tarde durante reunião da cúpula do partido em Marabá. A direção local do PSB defende o voto no candidato a presidência da CMM Miguel Gomes Filho (PP), enquanto Alécio eleito pelo PSB já tinha fechado acordo com um grupo de vereadores denominado de G-7.

Alécio argumenta que a população não gosta muito do vereador e presidente atual da Câmara, e fechou seu voto com um grupo que deseja renovação do parlamento. A direção do partido pressionou de todas as formas a posição do vereador eleito.

Segundo uma fonte a posição do vereador deve ser mudada até o dia da posse. Vamos conferir!!!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Urbanitários preparam greve

A partir do dia 17, os funcionários da Celpa devem paralisar as atividades em razão de não haver acordo sobre o reajuste salarial da categoria. Os trabalhadores querem que seja repassado reajuste referente às perdas do Índice de Preços ao Consumidor (INPC), que foi de 7,26%, mais um aumento real de 5%. No entanto, a proposta da Celpa é diferente. Se não houver consenso, a paralisação é iminente. Segundo Otávio Barbosa de Souza e Manoel Rodrigues da Silva, do Sindicato dos Urbanitários, a proposta da Celpa é de conceder apenas o reajuste referente às perdas do INPC para quem tem vencimentos de até R$ 1.200,00. Para quem ganha acima disso a proposta é conceder reajuste de 80% do percentual das perdas .
Ainda de acordo com Otávio, na terça-feira, dia 16, acontece mais uma rodada de negociação entre representantes da Celpa e dos trabalhadores. A esperança é de que a Celpa apresenta uma nova pauta e evite a paralisação. “A intenção do trabalhador não é causar prejuízo para a empresa e muito menos para o usuário”, observa Otávio. O sindicalista observa que, se houver mesmo uma paralisação, os trabalhadores mais atingidos serão os que atuam na manutenção e na distribuição de energia.
Chagas Filho

Novas vagas, velhas raposas

Se for aprovado pelo plenário do senado essa semana a PEC que aumenta o número de vagas para o legislativo mirim, vai ser uma verdadeira dança de rato. Em Marabá a previsão sengundo os calculistas é de que chegue a 21 o número de vereadores.

Voltaria para próxima legislatura os caudilhos Leodato Marques, Regivaldo Caravalho, Adailton Sá, Ademar de Alencar e outros que dependem de uma boa contagem do coeficiente.

De nada adiantou as eleições que tinha dado um basta nessa velharia do parlamento local.

Vida

Nas andanças da vida,
quando menos esperamos,
quando nada acontece de diferente...
O destino nos prega uma peça!
Coloca alguém no nosso caminho!
Uma pessoa especial, que entre um recado e outro,
se torna cada dia mais presente na vida da gente!
Palavras, sonhos, expressões, letras...
E assim vai crescendo
algo que na hora nem sempre damos importância,
mas que com o passar do tempo, sabemos o que significa!
Coisas que poucos mortais conseguem ver ou perceber...
mas nós sabemos...
Uma pessoa iluminada que tá sempre por perto,
que protege, que anima...
Que diz as coisas na hora certa!
Uma pessoa especial, um abraço, um apoio,
um carinho, ainda que em forma de palavras...
Uma boa companhia, uma amizade...

domingo, 14 de dezembro de 2008

LUTO!!!

Agora a noite após algumas tentativas de diálogo foi encerrado o mais longo dos relacionamentos. Prevaleceu a insensátez, a falta de respeito a memória da ente querida, e a permissão que outrem intervisse nas ligações.

TUCUMÃ

Mesmo com a forte chuva de hoje a tarde em Tucumã a nossa atividade de trabalho não foi interrompida. Uma visita na feira municipal, uma passagem pela câmara e uma volta nos bairros periféricos da cidade.

Propagandas enganosas da Vale: A tal Estação Conhecimento não funciona como ela diz na midía. A criação da Estação Conhecimento é resultado do diagnóstico socioeconômico do Sudeste do Pará, realizado pela Fundação Vale em 2006. O estudo foi elaborado por uma equipe multidisciplinar. No entanto, apena salgumas atividades esportivas estão acontecendo.

Enquanto isso chega todos os dias levas de trabalhadores em busca de emprego, a grande maioria sem qualquer qualificação. A violência e outrso problemas sociais são chocantes com a falta de planejamento do governo do estado, prefeitura e da própria Vale.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Nery condena implantação de usina da Vale do Rio do Doce no PA

A Vale sempre alegou priorizar a vida e o meio ambiente. Por que, então, lança mão de tão destrutivo mecanismo? Em sua defesa, alega que o período de implantação é bem menor que o de outras fontes de energia, mais limpas e menos destrutivas. Será que a sociedade paraense é que tem que pagar pela pressa dessa poderosa empresa?




O senador José Nery (PSOL-PA) condena a decisão da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) de instalar, no Pará, usina termoelétrica (UTE) que terá como fonte de energia o carvão vegetal. Segundo ele, esse é "o mais sujo dos combustíveis fósseis que o mundo conhece", e a instalação da usina será um dos mais "danosos" empreendimentos econômicos no estado.

O tema foi abordado em Plenário, nesta sexta-feira (5), quando José Nery informou que a licença prévia para a UTE de Barcarena já foi concedida à "poderosa Vale" pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado do Pará (Coema). Ele salientou que o projeto está na contramão dos princípios que a companhia divulga como parte de seus compromissos na área ambiental.

- A Vale sempre alegou priorizar a vida e o meio ambiente. Por que, então, lança mão de tão destrutivo mecanismo? Em sua defesa, alega que o período de implantação é bem menor que o de outras fontes de energia, mais limpas e menos destrutivas. Será que a sociedade paraense é que tem que pagar pela pressa dessa poderosa empresa?

Lixo ambiental

A UTE de Barcarena está orçada, conforme o senador, em mais de U$ 800 milhões. Deve gerar 600 megawatts/ano e perto de 3.500 empregos no período de execução das obras civis. José Nery observou, no entanto, que a usina demandará reduzido quadro de pessoal quando estiver em operação, como é regra nos grandes empreendimentos do setor energético e mineral. Ele chamou ainda a atenção para o fato de que, depois de instalada, a usina passará a gerar um lixo de 13 toneladas de cinzas e gesso por hora, o que representaria mais de dois milhões de toneladas em dez anos.

- É um incalculável risco ao já delicado equilíbrio ecológico e ambiental da região. Esse lixo, que seria estocado a céu aberto, passaria a ser reaproveitado em forma de cimento. Ocorre que este material pode ser radioativo, pois o carvão mineral contém urânio e tório, substâncias de forte impacto radiológico - denunciou.

O senador disse que o Ministério Público Estadual do Pará (MPE) já se pronunciou contra o empreendimento. Para o MPE, segundo José Nery, o relatório produzido pelo órgão ambiental peca pela "omissão e minimização" de danos econômicos e socioambientais do projeto sobre as contas e políticas públicas, bem como sobre as comunidades diretamente atingidas e o patrimônio arqueológico. Também haveria criticas à ausência de análise sobre a utilização de fontes alternativas. Por isso, recomendou a devolução dos estudos de impacto até que fossem sanados os problemas.

- Ocorre que, por pressão da Vale e do governo do estado, o Coema aprovou o licenciamento. Isso é muito grave e abre um precedente perigoso para este e para outros projetos.

Repúdio

O senador repudiou o posicionamento do governo de Ana Júlia (PT) frente ao tema. Segundo ele, prevalece a lógica desenvolvimentista, colocada acima "das já desgastadas promessas de mudança". A administração atual, como disse, ganhou a "mesma face" da gestão de 12 anos liderada pelo "tucanato", período em que a Vale teria se transformado "num verdadeiro Estado dentro do "Estado", influenciando e mesmo impondo projetos e políticas estratégicas para o povo do Pará. Ao fazer a denúncia, José Nery conclamou a população paraense a se mobilizar contra a implantação da UTE de Barcarena, sobretudo os moradores do município de Barcarena, onde estará sendo realizada nesta sexta-feira uma audiência pública sobre o empreendimento.

Da Redação / Agência Senado

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Pesquisa sobre o campesinato do sudeste do Pará ganha prêmio na UFPA

Territorialização do campesinato no sudeste do Pará, dissertação de mestrado de autoria de Rogério Almeida foi agraciada com o prêmio do Núcleo de Altos Estudos da Amazônia (NAEA) no de 2008. O núcleo é considerado um centro de excelência sobre temáticas amazônicas é vinculado a Universidade Federal do Pará (UFPA),

A premiação ocorreu na noite do dia 09, durante o Seminário Internacional Amazônia e Fronteiras do Conhecimento, que celebra os 35 anos de existência no teatro da UFPA, na Praça da República, em Belém. Os trabalhos são avaliados por uma banca composta por professores do próprio núcleo e professores convidados. A outra dissertação premiada foi “Brazilian Migration to Guyana as a Livelihood Strategy: a case study approach”, de Hisakhana Pahoona Corbin. Os trabalhos selecionados são publicados pela universidade.

A pesquisa de Almeida foi orientada pela professora Rosa Acevedo Marin. Os professores Maurílio Monteiro e Gutemberg Guerra formaram a banca de avaliação na defesa da dissertação.

O trabalho recupera 20 anos da história recente do campesinato da região, considerada uma das mais tensas na luta pela terra do país. A investigação recompõe fragmentos do período que compreende os anos 1987-2007. O passo inicial foi a partir da criação do primeiro Projeto de Assentamento da região, o PA Castanhal Araras, localizado no município de São João do Araguaia.

A partir de tal episódio o autor aborda as mediações por que passaram as entidades de representação camponesa, até se afirmar como sujeito econômico, político e social numa área de fronteira na Amazônia. Almeida trata da presença da Igreja Católica, ONG´s, partidos políticos e da própria universidade através do Centro Agro-ambiental do Tocantins (CAT).

A territorialização camponesa iniciada ao apagar da luzes da década de 1980, além da dimensão física registra a construção de representações políticas e institucionais. Como a efetivação de uma regional da FETAGRI, o MST e a recentemente criada Federação dos Trabalhadores Rurais na Agricultura Familiar (FETRAF). Trata-se de uma cidadania conquistada e não concedida, que ultrapassa os limites da mera análise física da reconfiguração da região.

Rogério Almeida percorre a região desde 1997 e entre os anos 1999 a 2003 foi vinculado ao Centro de Educação, Pesquisa e Assessoria Sindical e Popular (CEPASP), ONG com sede em Marabá, coordenada pelo educador Raimundo Gomes da Cruz Neto.

Em 2006 Almeida lançou o livro Araguaia-Tocantins: fios de uma História camponesa, coletânea de reportagens sobre o Bico do Papagaio, norte do Tocantins, oeste do Maranhão e sudeste do Pará. O autor que anima o blog http://www.rogerioalmeidafuro.blogspot.com/ é colaborador da rede Fórum Carajás (www.forumcarajas.org.br) e articulista do Instituto Brasileiro de Análises Socioeconômicas (IBASE), ONG com sede do Rio de Janeiro.

http://rogerioalmeidafuro.blogspot.com/

Raposa do Sol: Resultado final adiado

O senador José Nery que passou parte da manhã no Supremo Tribunal Federal recebeu com alívio o resultado parcial do julgamento da demarcação da reserva Raposa/Serra do Sol.
Embora, o resultado final não tenha sido anunciado, já há maioria de votos para garantir a demarcação contínua da reserva.

“Se mantida essa votação, podemos dizer que hoje é um dia histórico. Essa será uma vitória não apenas para os índios da reserva Raposa Serra do Sol, mas para todos”, disse.
O julgamento foi adiado mais uma vez porque o ministro Marco Aurélio Mello manteve o pedido de vista que havia antecipado na sessão, nesta manhã.

O relator do processo, ministro Carlos Ayres Britto, ainda argumentou que como a formação da maioria não caberia mais o pedido de vista. Para o presidente Gilmar Mendes, contudo, o resultado só poderá ser oficialmente anunciado após a manifestação de Marco Aurélio. O ministro tem até 30 dias para se pronunciar, podendo ser prorrogado por mais 30. Ainda faltam votar os ministros Celso de Melo e o presidente do Supremo Gilmar Mendes.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

PARAUAPEBAS

Vale imposiciona negociação

Em reunião na tarde de hoje, com um grupo de advogados que defendem trabalhadores rurais assentados nos PAs Paulo Fonteles e Vila Sanção, ficou definido mais uma grande ação conta a VALE.

Desta vez pela coação, imposição e outras formas de tratar os moradores dos dois assentamentos onde deve passar a estrada que liga Parauapebas ao Projeto Salobo.

São várias famílias que ainda não negociaram diretamente com a VALE, porque a forma como quer pagar e construir a estrada está totalmente fora da realidade.

Os advogados têm tentado de todas as formas acesso ao Documento oficial que rege as regras do convênio entre a Vale e a prefeitura de Parauapebas, para pagamentos das indenizações, laudo das terras, licenciamento ambiental para construção da estrada. Segundo os moradores nunca ouve uma audiência pública para discutir a construção da estrada e nem as formas de indenização.

O Gabinete do Senador José Nery (PSOL) deve ser acionado para prestar assessoria e acompanhar mais este caso de massacre ao povo feito pela Vale.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

DIGA NÃO ÀS DROGAS!!!

Segue texto do Luiz Fernando Veríssimo sobre as drogas da mídia....

Tudo começou quando eu tinha uns 14 anos e um amigo chegou com aquele papo de "experimenta, depois, quando você quiser, é só parar..." e eu fui na dele. Primeiro ele me ofereceu coisa leve, disse que era de "raiz", "natural" , da terra", que não fazia mal, e me deu um inofensivo disco do "Chitãozinho e Xororó" e em seguida um do "Leandro e Leonardo". Achei legal, coisa bem brasileira; mas a parada foi ficando mais pesada, o consumo cada vez mais freqüente, comecei a chamar todo mundo de "Amigo" e acabei comprando pela primeira vez.

Lembro que cheguei na loja e pedi: - Me dá um CD do Zezé de Camargo e Luciano. Era o princípio de tudo! Logo resolvi experimentar algo diferente e ele me ofereceu um CD de Axé. Ele dizia que era para relaxar; sabe, coisa leve... "Banda Eva", "Cheiro de Amor", "Netinho", etc. Com o tempo, meu amigo foi oferecendo coisas piores: "É o Tchan", "Companhia do Pagode", "Asa de Águia" e muito mais. Após o uso contínuo eu já não queria mais saber de coisas leves, eu queria algo mais pesado, mais desafiador, que me fizesse mexer a bunda como eu nunca havia mexido antes, então, meu "amigo" me deu o que eu queria, um Cd do "Harmonia do Samba". Minha bunda passou a ser o centro da minha vida, minha razão de existir. Eu pensava por ela, respirava por ela, vivia por ela! Mas, depois de muito tempo de co nsumo, a droga perde efeito, e você começa a querer cada vez mais, mais, mais . . . Comecei a freqüentar o submundo e correr atrás das paradas. Foi a partir daí que começou a minha decadência. Fui ao show de encontro dos grupos "Karametade" e "Só pra Contrariar", e até comprei a Caras que tinha o "Rodriguinho" na capa.

Quando dei por mim, já estava com o cabelo pintado de loiro, minha mão tinha crescido muito em função do pandeiro, meus polegares já não se mexiam por eu passar o tempo todo fazendo sinais de positivo. Não deu outra: entrei para um grupo de Pagode. Enquanto vários outros viciados cantavam uma "música" que não dizia nada, eu e mais 12 infelizes dançávamos alguns passinhos ensaiados, sorriamos fazíamos sinais combinados. Lembro-me de um dia quando entrei nas lojas Americanas e pedi a coletânea "As Melhores do Molejão". Foi terrível!! Eu já não pensava mais!! Meu senso crítico havia sido dissolvido pelas rimas "miseráveis" e letras pouco arrojadas. Meu cérebro estava travado, não pensava em mais nada. Mas a fase negra ainda estava por vir. Cheguei ao fundo do poço, no limiar da co ndição humana, quando comecei a escutar "Popozudas", "Bondes", "Tigrões", "Motinhas" e "Tapinhas". Comecei a ter delírios, a dizer coisas sem sentido. Quando saia a noite para as festas pedia tapas na cara e fazia gestos obscenos. Fui cercado por outros drogados, usuários das drogas mais estranhas; uns nobres queriam me mostrar o "caminho das pedras", outros extremistas preferiam o "caminho dos templos". Minha fraqueza era tanta que estive próximo de sucumbir aos radicais e ser dominado pela droga mais poderosa do mercado: a droga limpa.

Hoje estou internado em uma clínica. Meus verdadeiros amigos fizeram única coisa que poderiam ter feito por mim. Meu tratamento está sendo muito duro: doses cavalares de Rock, MPB, Progressivo e Blues. Mas o meu médico falou que é possível que tenham que recorrer ao Jazz e até mesmo a Mozart e Bach. Queria aproveitar a oportunidade e aconselhar as pessoas a não se entregarem a esse tipo de droga. Os traficantes só pensam no dinheiro. Eles não se preocupam com a sua saúde, por isso tapam sua visão para as coisas boas e te oferecem drogas.

Se você não reagir, vai acabar drogado: alienado, inculto, manobrável, consumível, descartável e distante; vai perder as referências e definhar mentalmente.

Em vez de encher a cabeça com porcaria, pratique esportes e, na dúvida, se não puder distinguir o que é droga ou não, faça o seguinte: Não ligue a TV no Domingo a tarde; Não escute nada que venha de Goiânia ou do Interior de São Paulo; Não entre em carros com adesivos "Fui ... "

Se te oferecerem um CD, procure saber se o suspeito foi ao programa da Hebe ou se apareceu no Sabadão do Gugu; Mulheres gritando histericamente é outro indício; Não compre nenhum CD que tenha mais de 6 pessoas na capa; Não vá a shows em que os suspeitos façam gestos ensaiados; Não compre nenhum CD que a capa tenha nuvens ao fundo; Não compre qualquer CD que tenha vendido mais de 1 milhão de cópias no Brasil; e Não escute nada que o autor não consiga uma concordância verbal mínima. Mas, principalmente, duvide de tudo e de todos. A vida é bela! Eu sei que você consegue! Diga não às dro

Governo Maurino: Especulações

Por enquanto é só conversa de bastidores, o governo Maurino Magalhães seria composto assim:
Omar Hennemam - Secetário de Planejamento
Haroldo Bezerra- Secretário de Obras
Nagilson Amoury - Secretário de Saúde
Cristina Mutran - Secretária de Assistência Social
Pedro Roberto - Secretário de Cultura
Pedrinho - Secretário de Finanças (Eterno)
Raimundo Nonato - Secretário de Agricultura
Pastor Vladimir - Secretário de Admnistração
Noé von - Pres. Fundação Casa da Cultura - (Eterno)

Segue nas articulações para secretaria de educação: Vereadora eleita Irismar Sampaio, Marilza Leite, Nei Calandrine (UEPA), Melquiades Justianiano e Professor Dennis.

SOLIDARIEDADE

Os Bloggs tem cumprido um importante papel, a informação, as denuncias que antes a imprensa marron não se arriscava, hoje é bem difundida pelos blogueiros.

Nesta postagem presto toda solidariedade ao blogueiro Hiroshi que ontem foi ameaçado publicamente por um determinado sujeito, daqueles que defendem o "coronelismo" para pacificar conflitos.

Este período ja passou, vivemos e respiramos novos tempos em que a liberdade é um direito, é uma conquista.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Nosso Campus tem história!!

A UFPA e o Campus Universitário de Marabá têm acompanhado o crescimento vivenciado pela universidade brasileira nos últimos anos, resultante das lutas por uma universidade pública e socialmente referenciada. Assim como em outros lugares do país, em Marabá esse crescimento apareceu na forma de ampliação do número de técnicos administrativos e professores, além de sua infra-estrutura física e criação de novos cursos e mais vagas para estudantes. Esse processo deve continuar, já estando asseguradas a criação de novos cursos em 2009, a ampliação do quadro de pessoal e a construção de mais infra-estrutura.
Não apenas a Universidade, mas o Sul e Sudeste do Pará está mudando. Sua dinâmica sócio-econômica-ambiental vem sofrendo alterações trazem muitas demandas de ensino-pesquisa-extensão.
Esse novo quadro coloca para a Universidade Federal no Sul e Sudeste do Pará grandes desafios!
A continuidade, direção e qualidade desse crescimento, assim como sua implementação, dependem, sobretudo, da participação ativa do conjunto de estudantes, técnicos administrativos e professores. Por isso o Campus precisa de uma Coordenação que articule estratégias de participação democrática e direta da comunidade acadêmica e dos parceiros da sociedade regional nas ações implementadas pela UFPA no sul e sudeste do Pará.
O Campus de Marabá está mudando, diversificando suas áreas de atuação e ampliando sua capacidade de ensino-pesquisa-extensão. A coordenação do Campus também precisa mudar, renovar-se!
É preciso uma transformação em sua forma de gestão e administração, trazendo novas formas de pensar e de fazer!
Por isso a chapa UFPA EM TRANSFORMAÇÃO, composta pela Profa. Hildete Pereira dos Anjos e pelo Prof. Fernando Michelotti, propõem um projeto de gestão para o Campus que visa colocar a Universidade à altura dos desafios que hoje se apresentam para o desenvolvimento da região, na construção de uma sociedade mais justa, igualitária, economicamente viável e ecologicamente sustentável.

Debate

A atualidade da luta pela ética na política e contra a corrupção no Brasil"
Você que está indignado com a corrupção e a impunidade que dominam o cenário político brasileiro, mas não perdeu a esperança de continuar lutando pela verdadeira ética na política, é nosso convidado especial para debater esse tão urgente e indispensável tema. Venha conhecer a trajetória e as posições do delegado Protógenes Queiroz, um brasileiro cuja atuação serve de exemplo a todos que permanecem batalhando por um país justo, democrático e livre de todas as formas de violência e de roubo do patrimônio público.
__________________________________________
DIA: 11 de dezembro de 2008 / HORA: 19h
LOCAL: Auditório da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seção Pará
Praça Barão do Rio Branco, 93 - Bairro da Campina - Belém Pará
Promoção: mandato do senador José Nery (PSOL-PA)
Visite: http://www.josenery.com.br/
Ala Senador Teotônio Vilela, gab. 17 - Tel.: (61) 3311-2104 Fax: (61) 3311-1635

sábado, 6 de dezembro de 2008

Louco......

Balada do Louco (Grande Sucesso na voz de Ney Matogrosso)

Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no ar
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz

Trabalho Escravo: Prefeito trabalhista escravocrata

Prefeito eleito do partido do Ministro do Trabalho escravizava no Pernambuco

O grupo móvel de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) resgatou 284 cortadores de cana dos engenhos Barra D´Ouro e Poço, da Usina Vitória Agrocomercial Ltda, propriedade de José Bartolomeu de Almeida Melo (PDT), o Beto da Usina, prefeito eleito nas últimas eleições. A empresa fica no município de Palmares (PE), a 120 km da capital Recife.

A lista de irregularidades encontradas pelos fiscais é extensa. "A empresa já havia sido notificada anteriormente pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Pernambuco (SRTE/PE) por conta das irregularidades e já tinha recebido informações de como se adequar à legislação trabalhista por meio da Secretaria de Inspeção do Trabalho, mas mesmo assim não se adequou à legislação", explica Jacqueline Carrijo, coordenadora da ação. A operação foi motivada por um pedido da SRTE/PE, que já realizara 37 fiscalizações no local, inclusive com flagrantes de trabalho degradante.

Todos os 284 trabalhadores não tinham equipamentos de proteção individual (EPIs). Os empregadores forneciam uma luva somente, e só para alguns trabalhadores. "Isso é um absurdo, somente uma luva [era oferecida], e não o par. O restante dos equipamentos não era oferecido", conta a coordenadora da ação. Ela relata ainda que a usina não fornecia água. Os próprios trabalhadores traziam água de casa em garrafas PET, mas a bebida costumava acabar por volta das 11h da manhã.

"Os cortadores procuravam os companheiros que ainda tinham água, e caso não tivessem, tomavam água de brejos próximos da frente de trabalho", relata Jacqueline. Não havia instalações sanitárias nas frentes de trabalho no canavial e os empregados utilizavam o mato como banheiro.

A jornada dos 229 resgatados do Engenho Barra D´Ouro começava às 3h da manhã, quando eles acordavam para providenciar o preparo da alimentação, e só terminava depois das 18h. O ônibus que transportava os cortadores estava em situação precária, não tinham licença para circular e era conduzido por motoristas sem carteira de habilitação. A parada para descanso era de, no máximo, 30min para o almoço, no meio do dia.

Fonte: Reporter Brasil

UFPA; Resultado mostra a derrota de Alex Fiuza

A Comissão Eleitoral divulgou nesta sexta-feira, 05 de dezembro, o resultado do eleição da UFPA para escolha do novo reitor da Universidade pelo quadriênio 2009-2013. Em primeiro lugar, ficou o professor Carlos Maneschy com 23,13 pontos. Em segundo, a Professora Regina Feio com 22,73 pontos. A professora Ana Tancredi ficou na terceira colocação, com 9,81 pontos, seguida pelo professor Ricardo Ishak com 2,57 pontos.

Estavam aptos a votar 2.402 professores, 2.340 técnico-administrativos e 30.006 estudantes. Participaram do pleito 11.961 pessoas, sendo 1.735 docentes; 1.806 técnico-administrativos e 8.420 estudantes.

Cadê as algemas????

Assalto ocorrido na tarde deste sabado na loja de informatica WR, foi bastante inusitado. Depois de ter rendido todos os funcionarios os ladrões foram pego de surpresa pela policia.

Porém, a policia estava sem algemas na hora de prender os meliantes. os policiais do Governo Ana Julia apelaram para os cadaços dos sapatos dos funcionarios.

Fato como este desmascaram as propagandas enganosas deste governo. PARÁ TERRA SEM DIREITOS!!!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Eleição na UFPA: Resultado ainda indefinido

As eleições para reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA) permaneciam sem um resultado oficial até esta manhâ, quando a Comissão Eleitoral liberou o último boletim sobre a apuração. Informações confirmadas diziam que ainda restavam ser sistematizados na totalização do resultado pouco menos de mil votos. Mas, segundo informações, esses votos não iriam alterar a ordem do resultado, que dava como certa a vitória da chapa de Maneschy nas eleições.

A comissão eleitoral informou à comunidade universitária que somente hoje à tarde iriam liberar o resultado oficial das eleições.

O que prevalece é a derrota da candidata do atual Reitor Alex Fiuza de Melo e de alguns prefeitos da região sul do Pará que apoiaram a candidata alexista.

A Vale está muito bem obrigada!

Com tanta benevolência do governo Lula e a sua aluna aqui parece no Pará, a Vale não terá dificuldades. Se assim não fosse, nos ultimos anos os maiores lucros das duas últimas décadas.

A Vale, esta vai muito bem obrigada. Jogo de cena é o que faz quando demite funcionários ou permite férias coletiva. Como diz Lucio Flávio Pinto: " a Companhia Vale do Rio Doce continuará infiel ao significado que podia ter para as regiões que explora, ao invés de desenvolver. Infiel à própria propaganda e ao discurso de responsabilidade social, feito para inglês ouvir e chinês aplaudir."

Sempre fazendo chantagem...

Quem teme o exemplo do Equador

Segue discurso do dep. Ivan Valente (PSOL-SP) sobre a situação do Equador.


Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, venho a esta tribuna para comentar a matéria publicada no jornal O Globo, de domingo, que consideramos leviana, desinformativa e certamente tem um objetivo político a respeito da questão da relação com o Equador, a auditoria da dívida e a relação com o Itamaraty.

Rigorosamente, a decisão equatoriana de recorrer ao Tribunal Internacional para discutir o pagamento ou não desse empréstimo é uma atividade normal que não cria crise diplomática, mas alguns órgãos da mídia brasileira estão desesperados com o problema real, que é o Equador ter feito, ao longo de meses a fio, por especialistas, uma auditoria da sua dívida e ter constatado imensas irregularidades, ilegalidades e fraudes. A auditoria mostra que o país trouxe, em divisas, muito menos do que mandou para fora em dívida e que as operações eram irregulares. O temor de que isso vire um exemplo para a América Latina é a principal questão. E já está acontecendo. Ontem o Presidente do Paraguai disse que quer fazer uma auditoria da dívida. A Venezuela e outros países, como a Bolívia, têm de fazer auditoria da sua dívida pública externa e interna.

Entendemos como mais do que necessário que aqui se instale imediatamente a CPI da dívida pública, por nós proposta e que tem as assinaturas regimentais, para que possamos discutir para onde vai o dinheiro público. Aqui no Brasil, rigorosamente, tivemos, no ano passado, 30,59% do orçamento dirigido a juros e amortizações. Se contarmos a rolagem da dívida, dá mais de 50% do orçamento, e ninguém faz nada. Ou seja, entrega-se dinheiro aos bancos, abre-se o capital para socorrer o capital financeiro, mas não se quer investigar a origem da dívida.

Pior ainda, Sr. Presidente, foi nomeado nos Estados Unidos o ex-Presidente do Federal Reserve, Sr. Paul Volcker, que foi quem elevou a taxa de juros a 22%, explodindo a dívida externa. Esse cidadão do Governo de mudança do Sr. Obama, o Sr. Paul Volcker, foi Presidente do Banco Central americano na época em que nossa dívida externa explodiu, porque os juros foram a 22%, sem que houvesse qualquer arbitragem internacional. Ou seja, foi uma decisão unilateral.
Agora, quando os governos da América Latina resolvem discutir a dívida, como fez o Equador legitimamente, e como o Brasil deve fazer, como está na Constituição de 1988, a chiadeira é geral, porque o controle que o capital financeiro tem sobre a mídia brasileira e sobre as decisões de Governo é muito grande. Isso precisa acabar.
Por isso defendemos a instalação imediata da nossa CPI da Dívida na Câmara dos Deputados.

Sr. Presidente, obrigado.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

ELEIÇÃO NA UFPA: Resultado oficial só amanhã

Até amanhã, deve ser conhecido o resultado da eleição para os cargos de Reitor e de Vice-Reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA), para o quadriênio 2009-2013. A votação aconteceu das 8 horas da manhã até as 21 horas de ontem. Quatro candidatos disputavam os votos da comunidade acadêmica da maior universidade do Norte do país: Regina Feio, Carlos Maneschy, Ana Tancredi e Ricardo Ishak.

SEBRAE

A eleição do SEBRAE-Pará foi adiada. A Fiepa retirou sua chapa alegando que o processo de registro estava irregular. Uma nova data não foi marcada.

A governadora Ana Julia ainda ensaiou sua participação para garantir apoio ao quase ex-prefeito de marabá Tião Miranda.

TERMÔMETRO

O resultado da eleição para reitoria no Campus de Marabá, antecipa o tensionamento da eleição para Coordenação do Campus que ocorrerá no próximo dia 16 de dezembro.

A vitória de Ana Tancredi é conseqüência da desastrosa gestão de Alex e Erivan. O Campus de Marabá por mais que tenha passado por amplo processo de ampliação de cursos e melhorias na infra-estrutura, deixou de ser referência nos últimos anos.
Falta de debates sobre o desenvolvimento regional e ausência total das discussões.

O campus que tinha história de luta se isolou e não consegue dialogar com a sociedade.

Ana Tancredi vence em Marabá

Chapa de oposição encabeçada pela professora Ana Tancredi venceu as eleições em Marabá. Com apoio da maioria dos estudantes que se empenharam na campanha e mesmo sem apoio de professores históricos, Ana Tancredi deu um banho de voto nos dois candidatos de Alex Fiúza. (Regina Feio e Carlos Manesch).

RESULTADO EM MARABÁ

ANA TANCREDI: 360 (alunos), 18 (docentes) e 04 (técnicos-administrativos), Totalizando 382 votos.

Carlos Manesch: 216 (alunos), 28 (docentes) e 12 (técnicos), total: 256 votos;

Regina Feio: 94 (alunos), 15 (docentes) e 12 (técnicos), total: 121 votos;

Ricardo Izar: 18 (alunos), 02 (docentes) e 01 (técnico), total: 21 votos;

Nulos: 02 (alunos

NOTA EM DEFESA DO MOVIMENTO PELA AUDITORIA DA DÍVIDA

A Rede Jubileu Sul Brasil, suas entidades integrantes, especialmente a
Auditoria Cidadã da Dívida e demais entidades, parlamentares e pessoas
consignatários, vêm expressar seu veemente repúdio à matéria "Uma
ameaça de US$ 5 bilhões", publicada no Jornal "O Globo" de domingo,
dia 30 de novembro de 2008, de autoria do jornalista José Casado.

Preliminarmente, cabe contextualizar que o Jubileu Sul no Brasil nasce
em 1998 com a 3ª Semana Social Brasileira - Pastorais Sociais/CNBB
(simpósios e Tribunal da Dívida), a partir de iniciativas de
movimentos populares, sindicais e pastorais de igrejas cristãs, que
culminaram com o grande plebiscito popular realizado em todo o Brasil
no ano 2000, organizado por centenas de entidades da sociedade civil.
O Plebiscito recolheu mais de seis milhões de votos exigindo o
cumprimento da Constituição Federal, que prevê a realização da
auditoria da dívida externa. Como continuidade deste Plebiscito, nasce
a Auditoria Cidadã da Dívida, dentro do Jubileu Sul, como uma das suas
mais importantes frentes de luta pela justiça econômica. Desde então,
tem realizado trabalhos de investigação e formação popular em
auditoria da dívida pública no Brasil e no exterior, no sentido de
pressionar pela realização da auditoria oficial da dívida.

A reportagem contém graves erros de informação:


A matéria construiu um cenário para tentar vender a idéia de que o
governo do Equador realizou a auditoria de sua dívida pública com o
objetivo de "dar o calote" no Brasil. Ataca o próprio governo
brasileiro ao afirmar que este teria contribuído para o "calote" ao
investir nesse processo uma funcionária da Receita Federal. Essa é uma
acusação leviana, descabida e sem fundamento.

A cessão de servidores públicos para outros países é um procedimento
legal, de praxe no âmbito das relações de cooperação internacional. A
auditoria é um instrumento fiscal que legitima a contabilidade de todo
agente econômico, inclusive do Estado, que visa a garantir a
transparência das negociações, e que não tem qualquer intenção prévia,
como pretende vender a matéria. Dizer que "O governo brasileiro
emprestou mão-de-obra, pagou o custo e, assim, ajudou o Equador a
preparar o calote em uma dívida com o BNDES, avalizada pelo Tesouro
Nacional", caracteriza grave distorção dos fatos.


No caso brasileiro, a auditoria da dívida externa está prevista na
Constituição Federal de 1988 (art. 26 do ADCT, até hoje não cumprido)
como uma ferramenta essencial para fiscalizar a correção das contas e
das operações relacionadas ao processo de endividamento público, sendo
portanto, completamente distorcida a declaração de que o objetivo de
uma auditoria seria "preparar o calote de uma dívida". Quando o
resultado da auditoria confirma a legitimidade do processo, ratifica a
divida. Quando, entretanto, aponta alguma infração ou ilegalidade, a
atitude responsável é justamente a busca de uma solução legal, nos
devidos espaços jurídicos e políticos nacionais e internacionais.


O principio constitucional leva em conta que uma auditoria traz
transparência e justiça. Por outro lado, podemos concluir que a falta
ou a negação desta auditoria é que deva ser tida como situação
esdrúxula e se constitui indefensável do ponto de vista legal e moral,
adversa ao interesse público.


A matéria de José Casado publicada pelo "O Globo" tem uma conotação
pessoal, expressando um juízo de valor do jornal, diga-se de passagem,
deturpado. Omite os resultados da Comissão de Auditoria Oficial do
Equador, publicando isoladamente uma frase do relatório executivo,
induzindo o leitor a concluir que este seria o único resultado dos
trabalhos realizados no Equador.



A matéria erra ao fazer a vinculação entre a participação da auditora
Maria Lucia Fattorelli e as ações políticas adotadas pelo governo do
Equador, ignorando as informações prestadas durante a entrevista ao
jornalista José Casado, quando a auditora esclareceu reiteradamente –
ao responder as indagações daquele - que havia atuado exclusivamente
na Subcomissão de Dívida Comercial, cujo objeto foi a auditoria da
dívida contratada com bancos privados internacionais, e não participou
da Subcomissão que cuidou das dívidas bilaterais, na qual se
encontravam os contratos do BNDES.



A matéria tenta imputar ao próprio governo brasileiro a
responsabilidade por ações adotadas pelo governo do Equador
relativamente a uma demanda iniciada por aquele país em relação a uma
obra realizada pela empresa privada Odebrecht. Assim, a reportagem
desvia o foco dos graves resultados apurados pela Comissão de
Auditoria do Equador em relação à atuação de grandes bancos privados
internacionais para enfatizar a participação, na referida comissão, de
uma servidora pública brasileira, legalmente autorizada pelo
Ministério da Fazenda do Brasil.

Ao contrário do que diz a matéria, as entidades Rede Jubileu Sul
Brasil, Auditoria Cidadã da Dívida, e PACS - Instituto Políticas
Alternativas para o Cone Sul, erroneamente identificadas como "ONGs",
não prejudicam o Brasil. Essas entidades buscam, sim, documentar,
identificar e democraticamente atuar sobre as causas das inaceitáveis
injustiças sociais existentes em nosso País, denunciando que o
principal responsável pelo desequilíbrio das contas nacionais, nos
últimos 40 anos, é o processo de endividamento público. Os gastos com
juros, amortizações e rolagem da dívida atualmente consomem mais da
metade dos recursos do orçamento federal, prejudicando seriamente a
atuação do Estado Brasileiro em todas as áreas, especialmente saúde,
educação, reforma agrária, saneamento e freando toda possibilidade de
investimentos geradores de emprego.



A Auditoria Cidadã da Dívida e demais entidades da Rede Jubileu Sul
Brasil lutam pelo cumprimento da Constituição Federal do Brasil e
defendem os princípios de Justiça nas relações internacionais,
respeitando o direito de toda Nação de auditar suas dívidas públicas.
Este processo busca revelar a verdade sobre o processo de
endividamento com base em documentos e provas, e constitui um
procedimento soberano, digno e responsável para com o povo que tem
arcado com o ônus dessas dívidas.

No que se refere à auditoria de 1931-32 – quando mais de 50% da dívida
externa foi cancelada após a realização de uma auditoria por
iniciativa do Presidente Getúlio Vargas – identificou-se, na ocasião,
que apenas 40% dos contratos estavam documentados. A matéria,
entretanto, diz erroneamente que a dívida foi "perdoada", quando na
realidade foi cancelada com base nos resultados irrefutáveis da
auditoria. Não se trata de caridade mas de justiça.



Na entrevista telefônica para esta reportagem, o entrevistado Marcos
Arruda jamais mencionou o cancelamento da dívida do Equador em acordo
com o governo da Noruega, muito menos defendeu um "perdão" semelhante
para o Equador pelo Brasil. O entrevistado Marcos Arruda não pertence
a uma ONG chamada "Instituto de Pesquisas Sociais, Econômicas e
Educação", e sim ao PACS – "Instituto Políticas Alternativas para o
Cone Sul." O economista Rodrigo Ávila não pertence à "ONG Dívida
Cidadã", mas ao movimento social "Auditoria Cidadã da Dívida".



Considerando que as indevidas e absurdas vinculações feitas na matéria
do jornal O Globo, agravadas por informações incorretas, provocam
danos e conseqüências graves às pessoas citadas na matéria, as
entidades que integram a "Auditoria Cidadã da Dívida", a Rede Jubileu
Sul Brasil e demais signatários, repudiam com veemência os ataques
pessoais, as inverdades, imprecisões e omissões constantes da matéria.



Repudiamos a desqualificação feita pela matéria em relação à atitude
soberana do governo do Equador de auditar sua dívida pública
. A
iniciativa equatoriana abre importante precedente para os demais
países assolados pelo flagelo do alto endividamento público, incluindo
o Brasil, cuja Constituição Federal determina a realização de
auditoria da dívida. Ressaltamos o apoio que a realização de
auditorias públicas das dívidas têm recebido ultimamente em
importantes cenários internacionais, incluindo o pronunciamento do
recente Simpósio de Oslo, Noruega, organizado pela Federação Luterana
Mundial, as Igrejas da Noruega e Suécia, com o apoio e plena
participação da Chancelaria Norueguesa; a aprovação unânime de parte
da Câmara dos Deputados do Congresso dos Estados Unidos de um projeto
de lei estabelecendo uma auditoria dos créditos cujo pagamento é
exigido pelos EUA; a criação de um programa de estudo e capacitação a
respeito na Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e
Desenvolvimento (CNUCED); e inclusive debate a respeito dentro do
Banco Mundial e Clube de Paris. Apoiamos as iniciativas já anunciadas
pelo Paraguai, Bolívia e Venezuela de também realizarem auditorias de
suas dívidas.



A realização de auditorias ganha maior relevância justamente na atual
conjuntura marcada pela grave crise financeira que nos obriga a
questionar a absurda canalização de recursos públicos para o sistema
financeiro internacional mediante o pagamento de dívidas ilegítimas e
não auditadas.


A matéria do jornal O Globo atingiu diretamente o movimento social
brasileiro, envolvido na luta pela redução das desigualdades sociais e
pelo avanço das garantias dos direitos humanos fundamentais
. O não
reconhecimento das dívidas histórica, social, ecológica para com a
maioria da nossa população e a constante sangria de recursos públicos
promovida pelo pagamento de uma dívida não auditada, são as
verdadeiras e as mais sérias ameaças ao povo brasileiro.

Rede Jubileu Sul Brasil

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Eleições no SEBRAE: Tião Miranda X Hildegardo Nunes

O quase ex-prefeito de Marabá Tião Miranda (PTB) enfrenta hoje o atual presidente do Sebrae e Ex-vice Governador Hildegardo Nunes. A eleição definirá o novo comando do SEBRAE no Pará, atualmente sob controle do PMDB (Jader Barbalho). A indicação de Tião teria sido do Palácio dos Despachos.

Mais uma vez a Donana enfrentando Barbalho.E pela segunda vez em menos de24 horas a coalizão de governo tensiona.

Eleições na UFPA: Ana Tancredi Já!!!

Hoje, a comunidade acadêmica da Universidade Federal do pará irá as urnas para escolher quem administrará essa instituição durante os próximos quatro anos (2009-2013).
Será um momento de efervescencia na discussõa politica e no debate sobre os rumos da Universidade. Nos ultimos anos a UFPA sofreu com a falta de compromisso da atual reitoria.

Por uma Universidade plural, democrática e com qualidade a chapa Ana Tancredi e Petrônio Lima defendem uma Gestão Participativa e Transparente.

As outras chapas estão ligadas ao governo do estado e a reitoria.

Vote pela MUDANÇA!!

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA: Eleição da Mesa

Donana a grande derrotada

Quer brincar de "Jader", como se brinca de governar, foi assim o processo eleitoral que acabou de reeleger Domingos Juvenil para mais dois anos à frente da AL.

A composição da Mesa da AL ficou assim: Domingos Juvenil (PMDB) continua presidente, o deputado Joao Salame (G-8/PPS) assume a 1ª Vice e o tucano Ítalo Mácola vai para a 2ª Vice. Miriquinho (PT), Adamor Ayres (G-8/PR),Haroldo Martins (G-8/DEM) e Deley Santos (PV) serão os secretários.

Por 39 votos e 1 em branco, o deputado Domingos Juvenil (PMDB) foi reeleito para presidir a Assembléia. Mas este resultado foi consequência de muitas articulações. Entre elas, a do governo que de certa forma saiu derrotada, mesmo havendo chapa unica. Mais uma vez Jader Barbalho sai vitorioso. Enquanto isso Donana vai ter que engolir mais essa.

MARGARIDA



São jardins em flor, aqueles cujos os sorrisos se abrem, é encantador a primavera nos rostos!
Cuja face de pele corada, e olhos apertados, expressivos... Dentes serrados à mostra, gestos soltos, e palavras ditas em voz alta... Bebidas devéras, e histórias muitas!
Sejam contos do inesperado, o inventado, o dia-a-dia, notícias, idéias e até absurdos! Tudo é permitido, no rosto florido daquela noite!
Ficarão pra sempre perfumadas na memória, as flores que desabrocham nesses pequenos, mas tão fortes e importantes momentos!
Germinando sementes de solidão, saudade, e vínculos de afeto que ficarão ali, selados naquela mesa, naqueles corpos, naqueles rostos!
A primavera que nasce ao iluminar de um "sol riso", a fotossíntese mais bela, do verde esperançoso de ainda poder ser feliz, apesar...

Nota do Poster:
Recebi e-mail parabenizando pelo blog com o seguinte poema publicado acima.

Nota do Poster 2:
O bom não é ficar aqui me justificando, mas o poema ai é lindo e foi enviado por um amigo, ao parabenizar o Blogg.
Portanto, apesar de conhecer as margaridas elas na síntese representadas pela bela imagem.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

DESAPROPRIAÇÃO

A Fazenda Cabaceiras (Assentamento 26 de Março), em nome "da" empreda família Mutran, com cerca de 9. 774 hectares, no município de Marabá foi dessa vez desapropriada em definitivo pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), pelo valor de R$15 milhões de reais. O pecuarista Evandro Mutran solicitou R$33 milhões. A medida foi anunciada no dia 28 (sexta-feira).

As famílias que vivem ali desde 1999 já haviam sido divididos os lotes por conta própria por que cansaram de esperar por uma resposta oficial do governo. Uma outra novidade é que a futura Escola Agrotécnica Federal vai ser construída na área do assentamento 26 de março.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

ELEIÇÃO NO CAMPUS DE MARABÁ

Começa o processo eleitoral para coordenação do Campus Unbiversitário do Sul e Sudeste do Pará.

Duas chapas concorrerão a coordenação do campus em Marabá, uma composta pelo Prof° Reginaldo Sabóia (Engenharia de Minas) e Profª Silvana (Pedagogia) a outra é composta pelos professores Hildete dos Anjos (Pedagogia) e Fernando Michelotti (Agronomia).

E para retomar o brilho do campus, acontece hoje o lançamento da chapa Hildete e Michelotti. Denominado de Tapirí em Transformação, o evento vai contar com diversas apresentações culturais, entre elas estão Clauber Martins, Jorginho e Banda, dentre outras atrações. Está previsto para às 15:00 horas o inicio da atividade e promete entrar pela noite, no Tapirí do Campus I.


Enquanto isso...
A Chapa do Professor Erivan é Indeferida
Por volta das 18:00 desta quinta-feira 27, saiu o parecer da comissão eleitoral do Campus da UFPA de Marabá.Por motivos de um processo de trasferência mal sucedido burocraticamente do Prof° Erivan Cruz, a comissão eleitoral entendeu que o mesmo não estava apto a concorrer o cargo de coordenador do Campus de Marabá. Ideferindo assim a chapa que o mesmo iria liderar.

MULHER ESCRAVOCRATA

Empresária se recusa a pagar trabalhadores escravizados

RECEBI A INFORMAÇÃO DO REPÓRTER BRASIL - Publicamos aqui na integra mais um caso de escravização na Região Sul e Sudeste do Pará.

Por Maurício Hashizume

O martírio das cinco pessoas submetidas a condições análogas à escravidão na Fazenda São Judas Tadeu, em São Félix do Xingu (PA), não se encerrou com a libertação promovida no final de outubro pelo grupo móvel de fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Elas ainda não receberam os devidos direitos trabalhistas nem indenizações por dano moral. Só conseguiram voltar às suas cidades de origem com seus poucos pertences graças a um fundo de suprimento mantido pelos próprios fiscais para casos de emergência e terão direito ao seguro-desemprego para o trabalhador resgatado.

A propriedade fiscalizada de cinco mil hectares pertence a Coracy Machado Kern, que se recusou a assumir as responsabilidades referentes ao flagrante de exploração dos trabalhadores. Ela também é dona não só da Fazenda Vida Nova, em Ourilândia de Norte (PA), como também do Hotel Natal Dunnas, estabelecimento turístico classificado com três estrelas na Praia de Ponta Negra, em Natal (RN). Só nas duas propriedades rurais no Pará, Coracy mantém aproximadamente sete mil cabeças de gado.

De acordo com a equipe de fiscalização, a proprietária alega (por meio de sua advogada) que não mantinha relações empregatícias com os cinco libertados. Na tentativa de se afastar do problema, Coracy argumenta que a fiscalização deve cobrar a situação encontrada de um dos empregados escravizados - ele próprio em situação de miséria e portador de uma dívida de R$ 10 mil para com a proprietária. Para o procurador Roberto Gomes de Souza, representante do Ministério Público do Trabalho (MPT) no grupo móvel que fez as inspeções, os fatos contradizem a versão da fazendeira, pois a existência de vínculo empregatício era evidente.

Além disso, equipamentos de proteção individual (EPIs), ferramentas de trabalho, materiais de limpeza e outros artigos de uso pessoal eram "vendidos" por um gerente de Coaracy e descontados dos trabalhadores, que não recebiam salários regularmente. "Houve caracterização de coação moral por dívida", conta Klinger Moreira, auditor fiscal e coordenador da operação.

Um dos vaqueiros da fazenda, que vivia com três crianças numa barraca de lona, não tinha nem conta bancária. O dinheiro ficava "guardado" com Coracy que, de acordo com Klinger, atuava "como uma instituição bancária", fazendo o controle dos débitos da conta do funcionário. "Estava tudo no poder dela", complementa o auditor fiscal. A Repórter Brasil tentou entrar em contato com Coracy, mas recebeu a informação de que ela está "em viagem pelo interior" e não comparece ao hotel em Natal há pelo menos duas semanas.

A água e o barraco "não prestavam", detalha um dos libertados. Era comum ter coceiras depois de tomar banho. Numa das ocasiões, a roda por onde passava a água vinda do açude parou, entalada pelos restos de uma capivara morta. "Tudo o que tínhamos lá era comprado da cantina", adiciona. Houve um período em que os empregados tiveram que sair pedindo arroz e feijão em outras fazendas porque a venda da São Judas Tadeu estava trancada.

O quadro encontrado foi descrito como "gravíssimo" pelo auditor fiscal Klinger. A água do dique que refrescava os banhos dos bovinos era a única disponível para consumo e utilização das pessoas. Não havia instalações sanitárias e as necessidades fisiológicas eram feitas no mato. A alimentação precária incluía até carne estragada; trabalhadores disseram que houve até casos de doença (não socorridas) em conseqüência da comida ruim. Nos barracos de madeira em chão de terra batida, morcegos e ratos eram comuns. O grupo móvel lavrou ao todo 48 autos de infração na propriedade.

A proprietária pagou apenas a hospedagem dos libertados em Água Azul do Norte (PA). As contas da acomodação em Xinguara (PA) e do serviço de transporte da mudança das famílias (que custou R$ 1 mil) foram pagas com recursos do mesmo fundo de contingência dos fiscais. Houve negociação entre Coracy e o MPT para o pagamento dos trabalhadores, mas a empresária não aceitou compensar o acerto de cerca de R$ 100 mil.

Pouco antes da chegada dos fiscais, um outro grupo de 14 trabalhadores deixara a Fazenda São Judas. Eles vinham da região de Esperantinópolis (MA) e voltaram para casa apenas com R$ 200 da condução, com menos de um mês nas frentes de trabalho. O trabalhador entrevistado pela Repórter Brasil relata que, no momento da dispensa, Coracy deixou o grupo passando fome "sem merenda" e chegou a servir leite aos porcos da fazenda. As "dívidas" dos que desistiram da empreitada foram transferidas para o trabalhador acusado pela dona como "empregador culpado", portador de uma dívida total de R$ 10 mil para com ela mesma. "Ele não era necessariamente um ´gato´ (aliciador de mão-de-obra). Acabou trazendo essas pessoas do Maranhão, mas era mais um escravizado", avalia Klinger.

Além dos maranhenses, trabalhadores de São Geraldo do Araguaia (PA) também foram explorados na Fazenda São Judas Tadeu, que fica a 18 km da rodovia mais próxima e a cerca de 170 km do povoado de Tucumã. Alguns dos que conseguiram deixar a propriedade fizeram denúncias em junho e setembro deste ano, expondo as condições desumanas experimentadas no local. Segundo essas denúncias, pelo menos 22 pessoas chegaram a ser mantidas na área em condições análogas à de escravo.

Os trabalhadores ainda aguardam decisão da Justiça do Trabalho para receber os seus direitos. Logo após a fiscalização, o MPT solicitou o bloqueio das contas bancárias de Coracy para viabilizar a quitação. Como forma de impedir o bloqueio, a proprietária entrou com uma petição na Justiça oferecendo uma caminhonete como forma de garantir o pagamento. O pedido dela foi negado pelo juiz. Diante da postura evasiva de Coracy, o procurador Roberto Gomes de Souza, do Ministério Público do Trabalho (MPT), ingressou com uma medida cautelar exigindo o pagamento dos libertados.

De acordo com a Vara do Trabalho de Xinguara (PA) - instância em que a peça foi protocolada em 5 de novembro -, porém, o pedido apresentava somas destoantes relativas à cobrança da fazendeira e empresária. O item conflitante já foi sanado pelo procurador Roberto, do Ofício de Marabá (PA), e a medida cautelar do MPT pedindo que Coracy destine R$ 100 mil aos trabalhadores aguarda análise do juiz local. "Não havia obrigação de pagar. Negociamos bastante, mas não houve acordo. Entrei na Justiça e isso agora demora um tempo", explica Roberto, que deve protocolar também ação civil pública sobre mais este caso de crime de trabalho escravo.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Senador Nery na região




O Senador José Nery (PSOL-PA), chega nesta sexta-feira (28) para participar de atividades na região. As 14:00h reúne na sede da Sociedade Paraense dos Direitos Humanos – SDDH, com moradores e lideranças das áreas de ocupação urbana em Marabá.

Na oportunidade será realizado pela coordenação da SDDH uma breve contextualização das atuais áreas em conflito dentro da cidade de Marabá.O senador receberá também um Dossiê para ser entregue ao Ministério das Cidades, sobre as reivindicações e propostas para regularização fundiária.

As 17:00h participar do Encontro Regional do Sintepp em Jacundá.Essa é a décima vez que o senador visita a região desde que assumiu o mandato em janeiro de 2007.

Campanha de homens para coibir violência contra mulher

Os homens paraenses interessados em participar de uma campanha pelo fim da violência contra as mulheres devem acessar o site www.homenspelofimdaviolencia.com.br, criado pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, da Presidência da República, que pretende garantir, no endereço eletrônico, um milhão de assinaturas em todo o País até o dia 5 de dezembro. Aqueles que assinarem se comprometem publicamente em contribuir para a implementação integral da Lei Maria da Penha e pela efetivação de políticas públicas que visem o fim de qualquer forma de violência contra as mulheres.

Ontem de manhã, o vice-governador do Estado, Odair Corrêa, acompanhado por assessores e funcionários da vice-governadoria, aderiu ao movimento e lançou a campanha do 'Laço branco: homens paraenses pelo fim da violência contra as mulheres', que faz parte da campanha nacional, intitulada 'Homens unidos pelo fim da violência contra as mulheres'.

De acordo com o diretor de Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Luiz Romano, que também participou do ato, tanto a iniciativa paraense quanto a nacional fazem parte de uma campanha mundial divulgada pelo Secretário Geral das Organizações das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon. A ação tem como objetivo buscar um diálogo específico com os homens, no sentido de sensibilizá-los para a problemática da violência. Todos os países que aderiram à campanha tem uma meta (de número de assinaturas) para cumprir. Os Estados também têm, cada um, uma marca a atingir. No caso do Pará, a intenção é recolher 100 mil assinaturas até o dia 5 de dezembro, já que no dia seguinte é o Dia da Luta dos Homens pelo Fim da Violência, data criada pelo presidente Lula. 'Sabemos que a maioria dos casos de violência contra a mulher é praticada pelos homens, sejam eles companheiros, namorados ou pessoas próximas. Por isso, estamos buscando a máxima adesão possível', explicou, acrescentando que o governo do Estado também trabalha na criação de mais políticas públicas voltadas para o público feminino. 'Estamos implantando os centros de referência Maria do Pará, que são casas destinadas à assistência e atendimento, inclusive jurídico, para as mulheres em situação de violência, bem como toda uma rede de assistência para elas, com o fortalecimento do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher', ressaltou.

Já o vice-governador, Odair Corrêa, convoca todos os homens paraenses a aderirem à campanha. 'A mulher é um ser sublime, que merece carinho, amor e respeito. Por isso, espero que todos os paraenses participem'.

CÂMARA

O assunto também foi tema de uma audiência pública na Câmara Municipal de Belém, ontem de manhã. A sessão, realizada a pedido da Associação de Mulheres 'Eneida de Moraes', reuniu organizações não-governamentais (ONGs), representantes do poder público e entidades que lutam em prol da causa feminina.

Para Jane Neves, da Associação de Mulheres 'Eneida de Moraes', é preciso chamar a atenção da sociedade e dos governantes para o problema, que, apesar das inúmeras tentativas de solução, como é o caso da Lei Maria da Penha, ainda é grave.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Seminário Internacional Amazônia e Fronteiras do Conhecimento

Modelo Energético

Seminário realizado no fim de semana em Marabá debateu modelo energético e a Hidrelétrica de Marabá

A primeira pergunta energia para quem e para que?

A construção de centenas de barragens no Brasil está relacionada com o interesse de grupos estrangeiros, diante da enorme crise mundia de energia, buscam dominar a todo custo, todas as demais fontes de energia, as fontes de agua, os riso, os minérios e as terras.

O atual modelo energético braslieor basedo na produção de energia hidrica significa 20% de toda energia produzida no mundo. Esta forma de produção de enrgia já expulsou de suas terras de 40 a 80 miilhões de pessoas no mundo. No Brasil 92% da energia produzida vem da fonte hidríca, ja tendo expulsado mais de um milhão de pessaos de suas terras.

Em Marabá não vai ser diferente, co0m a construção da hidrelétrica prevista para os próximos anos, uma grande área será inundada, inclusive parte das terras indígenas. Diante deste cenário, reuniram no ultimo sábado (22) em Marabá, parte de lideranças das areas a serem atingidas pela futura barragem.

Sob a organização do MAB - Movimento dos Atingidos por Barragem, cerca de sessenta lideranças participaram do primeiro seminário de formação. A idéia é criar grupos de resitência e organizar as familias a articularem uma rede de mobilização para fazer o enfrentamento.

Nota do Poster

Por determinação Judicial todas as postagem referidas ao processo da Comarca de Xinguara, que constava com o nome do requerente foram retiradas do ar desde o dia 14/11. Incluindo os comentários.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

MARAUAPEBAS

No Ar mais um instrumento de informação na blogosfera, é o Marauapebas postado pelo grande amigo Fabiano Rodrigues; È só acessar

http://www.marauapebas.blogspot.com/

AUDIÊNCIA PÚBLICA SOBRE CONCESSÕES DE RÁDIO E TV

Chamado por denúncias de violações de direitos

No próximo dia 27/11 (quinta-feira), acontece em Brasília uma audiência pública, convocada pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados, para debater a renovação das concessões de rádio e TV. a pedido de organizações que integram a Campanha por Democracia e Transparência nas Concessões de Rádio e TV, analisará sobretudo as outorgas das emissoras Globo, Record e Bandeirantes (em diferentes cidades do país), que venceram em 5 de outubro de 2007. O objetivo é avaliar o serviço prestado por esses canais ao longo dos últimos 15 anos e também propor novas regras e compromissos para o próximo período de exploração da radiod ifusão por essas empresas.

Para levantar subsídios para esta audiência nacional, diversas organizações realizaram audiências públicas em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, durante o mês de outubro. As denúncias de irregularidades apresentadas, tanto no que diz respeito ao conteúdo veiculado quanto à regulação técnica da exploração das outorgas, está sendo compilada pelo Intervozes e será apresentada aos parlamentares no dia 27.

Transparência

O amigo Francisco Macedo tem dedicado uma boa parte do seu tempo para a organização de um amplo banco de dados sobre a atuação legislativa na região. Para isso deve nos próximos dias inaugurar seu Blogg.

Enquanto isso governo federal lançou o Portal Federativo. Um porta com um conjunto bem grande de informações sobre os municípios brasileiros.São vários indicadores sociais: educação e saúde.

Este tipo de ferramenta ajuda a combater a corrupção, se bem utilizados pelos nossos vereadores e deputados.

Acesse o endereço abaixo:

www.portalfederativo.gov.br

RODOVIA PA -150 INTERDITADA EM XINGUARA

Por quase 12 horas de rodovia interditada; Empresários e funcionários do comércio ocupam a PA-150.


Empresários e fazendeiros ligados a Associação Comercial e Agropastyoril de Xinguara - ACIAPA ocuparam nesta segunda-feira, conforme haviam prometido, a rodovia PA-150, a 03 quilômetros de Xinguara, no trecho que liga a rodovia ao Resisencial Nova Suiça.

A interdição da PA, confirmou a expectativa criada por um grupo de empresários no fim de semana, aconteceu pontualmente às 5h30. A liberação da pista foi marcada com uma pequena carreata às 17h30 sob forte temporal. Eles querem o cumprimento de uma Audiência Pública para tratar da questão Segurança e também das obras de duplicação da Rodovia no perímetro urbano (Avenida Amazonas).

A pauta de reivindicações,ja havia sido apresentadas ao Secretário de Planejamento José Julio, no sabado (22), mesmo assim o grupo de empresários manteve a promessa de ocupar a rodovia.

Durante a pequena manifestação ocorrida no final da tarde ontem, um carro som anunciava a Audiência Pública para a próxima quinta-feira (27) na sede da ACIAPA.

Há indícios de que o movimento criado em torno de tais reivindicações tem caráter meramente politico, o alvo seria desgastar o gestor e não a governadora.

O Prêmio Verde das Américas 2008

O Bispo do Xingu dom Erwin Kräutler acaba de ganhar o prêmio Verde das Américas categoria Direitos Humanos, vai ser entregue ao bispo no próximo dia 27, às 9h30, no Memorial dos Povos Indígenas, em Brasília.

Outros homenageados receberam a comenda durante o 8º Encontro Verde das Américas, o “Greenmeeting”, entre os dias 9 e 11 de setembro. Dom Erwin, no entanto, não pôde estar presente.

O “Greenmeeting” é um Fórum que visa propor soluções sustentáveis para as principais questões sócio-ambientais do Brasil, das Américas e dos demais continentes.

O objetivo do Prêmio Verde das Américas é homenagear personalidades e instituições que têm, ao longo dos anos, contribuído para o desenvolvimento, a preservação ambiental do planeta e a melhor qualidade de vida. Apenas uma personalidade ou instituição em cada categoria, recebe o Prêmio. O bispo do Xingu foi indicado por diversas autoridades e comunidades indígenas.

Dom Erwin Kräutler nasceu na Áustria. Em 1980 foi consagrado bispo prelado do Xingu pelo Papa João Paulo II. Em 1981 recebeu a cidadania brasileira. Atuou com a irmã Dorothy Stang e prossegue no mesmo trabalho em defesa dos direitos das comunidades camponesas e indígenas, além da preservação ambiental na região amazônica.

www.rogerioalmeida.blogspot.com

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Ministério Público discorda de Licença Ambiental concedida à Vale

Para o promotor Raimundo Morais, a usina termoelétrica de Barcarena representa uma ameaça ambiental por causa da grande quantidade de carbono que será despejada na atmosfera.
Foi assim também que o Ministério Público (MP) do Pará apresenta discordância da licença ambiental concedida à Vale para construção de uma usina termoelétrica, no município de Barcarena, e poderá entrar com ação na justiça solicitando a suspensão do projeto. A licença foi liberada pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente do Pará (Coema), por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente.
Agora perguntamos quem compôe esse COEMA????

Modelo de Desenvolvimento em Debate

No Fórum Social Mundial um dos principais debates será o modelo de desenvolvimento na Amazônia.

O atual modelo de desenvolvimento da Amazônia e mais precisamente do Sul e o Sudeste do Pará, não foi pensado, nem elaborado pelos agentes internos, locais, e tampouco respeita e atende as necessidades e a cultura dos povos das florestas. Pois ele desterritorializou há muito os que viviam do extrativismo (coleta de frutos, da caça de animais, da pesca artesanal e da agricultura de subsistência); destruiu imensas áreas de florestas formadas por mogno, ipê, castanheiras, jatobá, cedro para dar lugar a monocultura do gado, da pecuária, acentuando cada vez mais o agronegócio, marcado pela violência, e conflitos em torno da posse da terra que nos últimos anos vem se reconcentrando nas mãos de grandes latifundiários.

Foram arrolados também nesse processo de exclusão e de violência os que faziam a garimpagem artesanal, pois a presença na região das grandes mineradoras, de capital nacional e internacional, é cada vez mais forte e marcante na paisagem da nossa região. Elas, sem qualquer forma de controle da sociedade e do poder público. Neste sentido, as organizações populares se preparam para o Fórum Social Mundial onde debateram estes problemas da melhor maneira possivel, da forma como vivencia essa realidade. RRJ

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Agrocombustíveis....

...como obstáculo à construção da soberania

Os agrocombustíveis, como o etanol, são parte de um modelo agrícola que não produz alimentos e, ao contrário do que afirma o governo do PT, aumenta os impactos ambientais, através do desmatamento e da queima da cana-de-açúcar, além de gerar outras conseqüências sociais, como o uso de trabalho escravo nas lavouras.

Em recente encontro o MST ratificou o seu posicionamento sobre os agrocombustiveis: Discorda radicalmente do modelo e da estratégia de promoção dos agrocombustíveis: entendendendo que estes não são vetores de desenvolvimento, nem tampouco de sustentabilidade. Esta estratégia representa um obstáculo à necessária mudança estrutural nos sistema de produção e consumo, de agricultura e de matriz energética, que responda efetivamente aos desafios das mudanças climáticas.

No mesmo seminário foi debatido com bastante veemência o modelo de agricultura industrial, onde se inserem os agrocombustíveis, é intrinsecamente insustentável, pois apenas se viabiliza através da expansão das monoculturas, da concentração de terras, do uso intensivo de agroquímicos, da superexploração dos bens naturais comuns como a biodiversidade, a água e o solo. Os agrocombustíveis representam uma grave ameaça à produção de alimentos. Independentemente dos cultivos utilizados para a produção de energia, comestíveis ou não, trata-se da competição por terra agricultável e por água.