quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

CAMINHOS PARA PARTICIPAÇÃO POPULAR

Em Marabá Tião governa pra si e faz obras sem a decisão do povo!

A questão fundamental que se apresenta num governo democratico diz respeito a quem e como - quem toma as decisões na administração municipal, como isso acontece - ao sujeito e ao procesos decisório. Qianto ao sujeito, trata-se de definir quem são os atores -eleites tecnicamente preparadas e selecionadas, via processo eleitoral, ou cidadãos, de forma direta através de mecanismos que permitam sua expressão e deliberação.

Na visão elitista e utilitarista de Tião Miranda e sua "turma" o que interessa são as compensações feitas a partir das obras sem decisão popular.

Nos ultimos dias é bem verdade que Marabá virou um verdadeiro canteiro de "obras" ou de placas de obras com valores astronômicos. Mas quem fiscaliza? Os vereadores ?

Nesta gestão sem oposição, o povo sem representantes a altura, tem amrgado uma derrota sem perca de vista. A derrota da ausência de participação,dos mecanismos inexistentes por falta de um governo que não dialoga com o povo. Tião Miranda tem uma marca diferenciada: ele tem feito um conjunto de obras impactante, porém tem ignorado os cidadãos, por que ele impôe em sua forma de governar, as obras que ele bem entende.

O realismo elitista dessa gestão tem sido uma das marcas peincipais de Tião Miranda, ao negar a competencia do cidadão comum, nega aspectos considerados centrais no conceito d edemocracia: autodeterminação, participação, igualdade politica, influência da opinião pública sobre a tomada de decisão.

Nenhum comentário: