sábado, 8 de dezembro de 2007

AGROCOMBUSTIVEIS

Editorial do Jornal Brasil de Fato aborda essa temática com bastante precisão.


Portanto, repudiar a proposta dos Deputados João Salame e Asdrubal que têm incentivado o debate em torno da produção de cana na Amazônia é necesário.


processos de industrialização, da instalação de fábricas e da difusão de inúmeros produtos, que se transformaram em mercadorias. Alguns, usaram a energia para melhorar o bem estar das populações, outros, porém, buscavam apenas o lucro fácil de seus fabricantes e induziam a fantasias.

O século 20 foi movido a energia de origem elétrica, produzida pelas hidrelétricas, pela energia nuclear e pela queima do petróleo. Outra parte da energia veio do consumo da reserva fóssil, que estava armazenada no subsolo de nosso planeta na forma de petróleo, gás e carvão mineral.

O fato é que essas fontes de energias fósseis estão com suas reservas escassas. Cada vez mais raras, difíceis de extrair, e já sabendo-se de seu limite, o preço tende sempre a subir. Por outro lado, a queima desses combustíveis está aumentando a poluição em todo o planeta, provocando desiquilíbrios na natureza e aquecimento global. O aquecimento de apenas alguns graus na temperatura, em média, durante todo o ano, vai provocar alterações trágicas em diversas regiões do planeta, e vai alterar o sistema de chuvas. Consequentemente, altera todos os conhecimentos sobre a agricultura que tínhamos até agora.

A fusão nuclear, por sua vez, revelou-se perigosa do ponto de vista dos riscos de acidentes. Portanto, a humanidade entrou no século 21 precisando debater profundamente as fontes de energia que vai utilizar para resolver suas necessidades básicas.

As atuais fontes de energia de combustíveis fósseis e nuclear devem ser substituídas

Nenhum comentário: