terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

Congresso da Cidade e do Campo em Xinguara

A participação direta do povo nas decisões e rumos do desenvolvimento material e cultural se consolida cada vez mais em Xinguara. Esse processo faz ruir paulatinamente a estrutura velha e reacionária do aparelho de estado outrora separado, distante e violento aos direitos da maioria dos cidadãos xinguarenses.
A exclusão social que ora comentamos, caracteriza-se principalmente pelas milhares de famílias que viviam abaixo da linha da pobreza, e que hoje são incluídas e atendidas pelo Programa Bolsa Família e começam a recuperar a sua dignidade. Da mesma forma a população de analfabetos existente antes do nosso governo, mas que hoje está sendo paulatinamente escolarizada criticamente e, em breve, essa chaga da violência social, não mais será motivo de vergonha do nosso povo. Essa barbárie será coisa de museu, como a máquina de datilografia nos centros civilizados.
Do ponto de vista econômico o município de Xinguara ainda vive sob a égide do monopólio da terra, da concentração de renda, da exclusão e da violência contra o direito de muitos. Mas a estratégia é a luta pela diversificação da atividade econômica com estímulo ao turismo, a agricultura familiar e a efetivação do FUNDOSOL que impulsionará a economia solidária.
Mas é a participação popular, realizada através do Congresso da Cidade e do Campo, que marca a face democrática e comprometida do nosso governo com a inversão de prioridade e a cidadania de nosso povo de xinguarense. Este ano o foco principal do processo congressual não está voltado tão somente e nem fundamentalmente para a destinação do orçamento público municipal, apesar de sua relevância. O congresso tem como foco o resgate da história de Xinguara e a homenagem aos pioneiros e pioneiras que dedicaram para importante de suas vidas na formação do nosso município.
Portanto, se sinta convidado (a) para participar da abertura do Congresso 2007, no proximo dia 16 de março a partiri das 18:00h na Feira Coberta....será a festa da cidadania

Um comentário:

saulo disse...

ME SINTO OTIMA LENDO TEU ARTIGO....CONSIDERO MINHA FAMILIA PIONEIRA , POIS CHEGAMOS NO FINAL DE 1979 PRA 80..MEU PAI MONTOU O RESTAURANTE INHUMAS , E LOGO MAIS ARRENDOU O HOTEL RIO VERMELHO ..VINDO A COMPRAR LOGO DEPOIS....
HJ ELE TEM SOMENTE O HOTEL , ME ORGULHO E ME SINTO COMO FILHA DA TERRA , SOMENTE QD TENHO MESMO QUE INFORMAR QUE FALO. SOU GOIANA..AMO ESSE LUGAR COMO MEU...MEU AVÔ VIROU LENDA NESSE LUGAR, MEU TIU, MEU PAI..OBRIGADA MOÇO POR FALAR BEM DESSE LUGAR TÃO CASTIGADO...OBRIGADA MESMO!!!

LÍDIA HELY VALADARES DE LIMA
YARA REGINA VALADARES DE LIMA E TODOS NÓS FILHOS DO SEU JOÃO DO HOTEL RIO VERMELHO LTDA...